Espetáculos no Rio de Janeiro


Informações cedidas por DANIELLA CAVALCANTI ASSESSORIA DE IMPRENSA
                 
                 (Clarissa Braga e Fernanda Miranda)

EDUKATORS

Sucesso de público e de crítica, a montagem retornou ao Rio em uma curta temporada no Teatro Ipanema

Edukators
"'Edukators' [...] é o sopro de vitalidade na cena teatral carioca. Trata-se de um espetáculo vigoroso, apaixonado e que interage bem com a linguagem cinematográfica sem deixar de ser essencialmente teatral." (Mauro Ferreira – jornalista e jurado do Prêmio APTR – 18/01/2013)

Adaptado do clássico do cinema alemão de Hans Weingartner, Edukators faz uma nova temporada no Rio, agora no Teatro Ipanema, iniciada em 30 de agosto; sextas e sábados, às 21 horas; aos domingos, às 20 horas. O espetáculo sintetiza a indignação de uma geração órfã de revoluções. Com adaptação para o teatro de Rafael Gomes e direção de João Fonseca, o elenco é formado por Edmilson Barros, Fabrício Belsoff, Natália Lage e Pablo Sanábio.

Rebeldes contemporâneos, Jan (Fabrício) e Peter (Pablo) se autodenominam os “educadores”, donos de uma revolução simbólica e pacifista: eles invadem mansões, trocam móveis e objetos de lugar e disseminam mensagens de protesto. Tudo vai bem até um erro crucial durante a invasão da mansão de um milionário, que leva a um sequestro. Em Edukators, o conflito de gerações costura o retrato de uma juventude que não acredita em nada, mas nitidamente sente falta das utopias.

O espetáculo, que fez temporadas no Rio, São Paulo e Brasília, entrará em turnê nacional no segundo semestre de 2013.

Adaptação leva aos palcos a história que marca os anseios de uma geração por uma revolução e sua indignação diante da imobilidade frente às injustiças. “Seus dias de fartura estão contados”. Ameaça terrorista? Manifesto? Desejo de mudar o mundo? Utopia? A mensagem escrita em um bilhete e espalhada pelos ‘Edukators’ propõe uma revolução. Eles não se conformam com a desigualdade social, é preciso reverter a lógica capitalista, transformar o pensamento de cada indivíduo. É tempo de mudança, movimento. Os ‘Edukators’ nasceram no cinema, fruto da imaginação do roteirista e diretor austríaco Hans Weingartner, mas podem estar na sala ao lado. Realidade e ficção desatam os nós, rompem as fronteiras.
Edukators - Peça teatral
SOBRE OS PERSONAGENS: Pablo Sanábio e Fabrício Belsoff vivem os Edukators Peter e Jan, respectivamente. Natália Lage é Jule, namorada de Peter, que descobre tudo e propõe a invasão da casa do milionário Hardenberg (Edmilson Barros), a quem deve uma considerável quantia em dinheiro. Algo dá errado e eles são obrigados a sequestrar Hardenberg. Da convivência e embate entre esses quatro personagens brotam as mais belas reflexões do texto. “Cada coração é uma célula revolucionária”. A relação entre os três amigos também se altera, ainda mais quando vem à tona a atração entre Jule e Jan. Nervos e desejos expostos. "O corpo é capaz de produzir drogas poderosíssimas e viciantes, como a paixão".

SOBRE A PRODUÇÃO: Hans Weingartner ainda não tinha cedido autorização para qualquer montagem de seu texto fora da Alemanha, mas se empolgou com o projeto da adaptação teatral no Brasil e fez questão de vir ao país em janeiro para acompanhar os preparativos finais e prestigiar a estreia carioca da peça, além de preparar um vídeo exibido antes do espetáculo.  “O vídeo fala sobre o jovem e a revolução, faz um paralelo de movimentos semelhantes aos Edukators pelo mundo”, explica Pablo Sanábio, que comprou os direitos para a montagem e associou-se à Primeira Página Produções de Maria Siman, que assina a direção de produção, para a realização da montagem no Brasil. “O filme mexeu muito comigo pela capacidade, ainda que utópica, de conseguir mudar o mundo com uma revolução pacífica. Eu achava o ato deles extremamente teatral e por isso fiz questão de encenar aqui”.

O diretor João Fonseca, outro admirador do filme, juntou-se ao projeto. “A história é surpreendente porque fala de jovens que ainda acreditam em mudar o mundo, que querem fazer uma revolução em pleno século XXI”. E a adaptação é de Rafael Gomes, que procurou se equilibrar na tênue fronteira entre a liberdade e o respeito ao original: “Tive que criar muita coisa, preencher lacunas que o filme não abordava, ou abordava tangencialmente. Isso para a história manter-se rica, complexa e interessante no teatro. Mas tudo o que eu acrescentei, sob meu ponto de vista, está lá para corroborar a obra original”.

Mais do que simplesmente um filme ou uma peça, ‘Edukators’ é um retrato de uma geração, sob sua própria ótica, uma investigação sobre o que é ser jovem no início do século XXI. A revolução começa dentro de cada um, no dia-a-dia, na relação com o outro. “Algumas pessoas nunca mudam”. Outra afirmação presente no espetáculo que traz muito de esperança e desesperança. Realidade ou utopia? Acomodação ou revolução? Há escolha? A bomba cai diretamente no colo do público. Que cada indivíduo pense e fale por si!

FICHA TÉCNICA:

Dramaturgia Original: Rafael Gomes     Direção: João Fonseca     Direção de Produção: Maria Siman
Elenco: Edmilson Barros, Fabrício Belsoff, Natália Lage e Pablo Sanábio     Diretor Assistente: Diogo Liberano    
Cenário: Nello Marrese     Iluminação: Luiz Paulo Nenen     Figurinos: Bruno Perlatto    
Trilha Sonora: Rodrigo Penna     Direção de Movimento: Rafaela Amado
Produção Executiva: Luciano Marcelo e Gabriela Mendonça     Idealização do Projeto: Pablo Sanábio
Produtores Associados: Pablo Sanábio e Maria Siman
Produção: Primeira Página Produções Culturais e O Menino e as Ideias Entretenimento.

 

A IMPORTÂNCIA DE SER PERFEITO

A Prefeitura do Rio de Janeiro e a Secretaria Municipal de Cultura apresentam, até 22 de setembro, a peça A importância de ser Perfeito, que aborda temas como o casamento, aparências, verdades e mentiras.
A importância de ser perfeito - de Oscar Wilde
A montagem, com direção Daniel Herz, transporta toda a ação do espetáculo da Londres vitoriana para os dias atuais no Brasil, com a adaptação da mais famosa comédia de Oscar Wilde, The importance of being Earnest, realizada por Leandro Soares. O projeto, que teve patrocínio da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal, estreou em 17 de agosto na Zona Sul, no Teatro Municipal Maria Clara Machado (antigo Planetário).

O espetáculo narra a história de José Dourado, um homem que usa uma identidade dupla para poder se divertir sem comprometer sua imagem de rico herdeiro e acionista das telecomunicações. Seu melhor amigo, Agenor Nabuco, se vale disso para invadir a fazenda de José e, então, conhecer a sedutora Cecília Feijó, sobrinha de consideração do amigo. Agenor é primo de Patrícia Lobato, por quem José está apaixonado, mas Tia Augusta, mãe de Patrícia, é contra o relacionamento. Impedimentos amorosos também serão impostos à governanta Dona Glorinha e ao pastor Saulo Malaquias. Então uma trama do passado vem à tona para mudar o rumo dos personagens na história.
A importância de ser perfeito
A montagem foi idealizada por Leandro Soares e o ColetivoAchadoNumaMala. Os papéis femininos são desempenhados por atores homens do Coletivo e mais três atores da Companhia Atores de Laura. Essa concepção de androginia, que a direção incorporou ao trabalho, ganha forma e cor nos figurinos, nos quais elementos masculinos e femininos coexistem e se misturam. A música é tocada ao vivo pelos próprios atores, que também são músicos, em sua maioria.

A opção por homens em papéis femininos foi inspirada no ensaio O epiceno inglês – The importance of being Earnest, de Wilde, da professora e ensaísta americana Camille Paglia, publicado em seu livro Personas Sexuais, de 1990. O artigo levanta um olhar crítico sobre a androginia dos personagens e tornou-se a principal base teórica na criação do espetáculo.
A importância de ser perfeito - Peça
FICHA TÉCNICA:

Texto: Oscar Wilde
Tradução e Adaptação: Leandro Soares
Direção: Daniel Herz
Assistência de Direção: Maria Eduarda Machado     
Realização: Nevaxca Produções e Pantaleão Produções Artísticas
Direção de Produção: Tárik Puggina     Produção Executiva: Aline Mohamad     Idealização: ColetivoAchadoNumaMala
Elenco: Leandro Castilho (José Dourado); Leandro Soares (Agenor); George Sauma (Patrícia); João Pedro Zappa (Cecília); Anderson Mello (Tia Augusta); Marcio Fonseca (Dona Glorinha), Pedro Tomé (Pastor Saulo) e Samuel Toledo/ Daniel Pimenta (Felício e Ruas)
Figurinos: Thanara Schönardie     Cenário: Nello Marrese     Iluminação: Aurélio de Simoni
Música original e direção musical: Leandro Castilho     Fotografia: Dalton Valério
Programação Visual: André Vants     Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal

SERVIÇO:

“A importância de ser Perfeito”     Gênero: Comédia     Duração: 100 minutos
Horário: sextas e sábados às 21h, domingos às 20h     Local: Teatro Maria Clara Machado
Endereço: Rua Padre Leonel Franca, 240     Há estacionamento no local
Informações: (21) 2239-5948 / 2274-7722     Ingresso: R$ 30,00
Bilheteria: de quarta a sábado, das 14h às 22h, e domingo das 14h às 20h
Capacidade: 120 lugares     Acesso para pessoas com deficiência
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 14 anos
Programação completa da Caixa Cultural: http://www.caixa.gov.br/caixacultural

 

VEXAME

Estreou em 6 de agosto, indo até 25 de setembro, no Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea, a comédia Vexame, de Wesley Marchiori e direção de Inês Peixoto, do premiado Grupo Galpão, de Minas Gerais.
Vexame
A montagem, vencedora da categoria Melhor Comediante/Humorista do Prêmio SESC/SATED, conta a história do personagem “Ele”, do ator Amauri Reis, que usa de todos os mais absurdos meios e métodos investigatórios para vigiar a vida de sua noiva, Irene, vivida por Luciana Bahia.

Conferir mensagens ou ligações “estranhas” no celular, compras “diferentes” no cartão de crédito e vasculhar minuciosamente toda a casa procurando vestígios de um adultério, são exemplos de ações que fazem parte do cotidiano d'Ele que, desconfiado, vê a possibilidade de ser traído a todo o momento. Certo dia, cansada de suas desconfianças, Irene põe fim à relação, e, enquanto tenta colocar a sua vida nos eixos, se vê no meio de uma sucessão de acontecimentos quando o ex-noivo cria as mais hilárias e ridículas situações ao seguir os seus passos dia e noite, tentando a todo custo reatar a relação.

Vexame é uma história de amor que fala da entrega total a uma paixão, e do medo de perder. Da dependência que criamos do(a) outro(a) e do medo de ter a segurança de um relacionamento quebrada, e de ficar só. Do excesso de zelo que pode pôr fim a uma relação e do desespero de quem sofre e quer, de qualquer forma, o seu amor de volta.
Vexame
Com direção da consagrada atriz do Grupo Galpão, Inês Peixoto, Vexame nos convida a sentar em uma mesa de bar e, em meio a porres, embarcar numa história de amor que diverte e ao mesmo tempo emociona. Uma história que pode ser minha, sua e de qualquer um que ama e se entrega a essa paixão.

Sinopse: Sufocada pelas constantes desconfianças e crises de ciúmes do noivo, Irene põe fim à relação, e se surpreende quando ele passa a vigiá-la dia e noite, provocando os mais trágicos e cômicos vexames de amor, na tentativa de reatar o romance.

Curiosidade: Amauri Reis acabara de levar um fora e estava de baixo astral, quando leu pela primeira vez o texto da peça. “Minha vida estava lá. Sofria por tudo aquilo e disparei a chorar”, lembra ele, que, pouco tempo depois, reatou o namoro. Na euforia, releu a obra e a reação foi bem diferente. “Em vez de chorar, disparei a rir das situações ridículas a que nos prestamos quando o ciúme entra nas paixões arrebatadoras”, conta ele, que, em meio aos dois momentos antagônicos, decidiu levar ao palco o espetáculo.

FICHA TÉCNICA:

Texto: Wesley Marchiori     Direção: Inês Peixoto     Assistente De Direção: Eduardo Moreira
Elenco: Amauri Reis & Luciana Bahia     Cenário e Figurino: Kalluh Araújo     Iluminação: Telma Fernandes     
Preparação Corporal: Cléo Carmona     Trilha Sonora: Eduardo Moreira     Programação Visual: Cadu Rocha     
Foto cartaz: Cadu Rocha     
Fotos de cena: Guto Muiniz     Assessoria de Imprensa: Daniella Cavalcanti
Produção Rio de Janeiro: Denise Escudero     Assistente de Produção: Mariana Matos

SERVIÇO:

Local: Teatro Clara Nunes (Rua Marques de São Vicente, 52/3º piso – Shopping da Gávea)
Horário: Terças e Quartas, às 21h     Ingresso: R$ 40,00     Telefone: (21) 2274-9696
Gênero: Comédia     Duração: 70 minutos     Classificação Etária: 14 anos     Lotação: 499 lugares
Bilheteria: diariamente, das 13h até o horário do último espetáculo do dia


FORROBODÓ – UM CHORO NA CIDADE NOVA

Em cartaz até 8 de setembro     Teatro Sesc Ginástico (Rua Graça Aranha, 187 – Centro. Tel.: 21-2279-4027)
Bilheteria: de terça a domingo, das 13h às 20h     Ingresso: R$30,00 (inteira), R$15,00 (meia) e R$5,00 (comerciário)    
D
e quinta a domingo, 19h     Duração: 60 minutos     Classificação: 12 anos     Capacidade: 513 lugares
Forrobodó
Diante do enorme sucesso de Forrobodó – Um Choro na Cidade Nova, que estreou em 1912 para uma temporada de 1.500 apresentações, um crítico escreveu que aquela era uma peça para durar três séculos. Pelo menos um século já durou. A comédia com músicas de Chiquinha Gonzaga ganhou nova montagem em 13 de julho, no Sesc Ginástico. A direção é de André Paes Leme, responsável por sua última encenação, em 1995.

André e a produtora Andréa Alves, da Sarau, retomaram a parceria de 18 anos atrás para realizar um novo Forrobodó. Enquanto a versão de 95 reconstituía o estilo ingênuo e pitoresco de uma época do teatro carioca, a que chegou ao palco do Sesc nem usa figurinos antigos, apostando na inteligência do espectador, que vê os atores partirem de uma roda de samba para encarnar seus personagens. “É uma roda-espetáculo. Ou como se a roda contasse o Forrobodó”, diz André, diretor de vários musicais, entre eles Grande Otelo – Êta moleque bamba! e É samba na veia, é Candeia.

No elenco há um remanescente da versão 95: o gaúcho Flavio Bauraqui, então fazendo sua 1a. peça profissional no Rio.

“A montagem de 95 tinha uma característica de ser graciosa. Mas se passaram 18 anos, já somos maiores de idade, podemos falar desse Brasil que mudou, inclusive na postura dos negros, diferente da que aparece em momentos da peça. Para mim, é muita sorte poder jogar outro olhar sobre a mesma coisa”, comemora Flavio, que tem como colegas de elenco o baiano Érico Brás (de Tarja Preta e do seriado Tapas e beijos, da TV Globo), Juliana Alves (íntima do samba – rainha de bateria da Unidos da Tijuca, e comemorando 10 anos de carreira em sua 1a. experiência no teatro), os cantores Marcos Sacramento e Pedro Miranda, e também Alan Rocha, Edna Malta, Joana Pena, Sara Hana e Sérgio Loureiro.
Forrobodó - Espetáculo
A trama, simples, gira em torno de um triângulo amoroso e se passa, em parte, num clube. O pioneirismo da peça estava em levar ao teatro tipos populares, como o capoeira, o guarda-noturno, o ladrão de galinhas. E vários personagens são negros, algo ainda incomum naquele momento. E o maxixe, gênero musical em voga nos bailes populares, domina as composições de Chiquinha.

“Pode ser uma roda de qualquer época, inclusive dos dias de hoje. O espetáculo poderia se passar num sobrado da Lapa ou no Trapiche Gamboa”, afirma o diretor, lembrando que a revitalização do samba e das rodas, ocorrida no Rio nestes últimos 18 anos, facilita essa nova proposta de montagem.

André, o arranjador Leandro Braga e a diretora musical Maria Teresa Madeira se sentiram livres também para ampliar o repertório, pois a trilha original de Forrobodó não é grande. “Fizemos novos arranjos, mas sem perder o apelo urbano muito forte que as músicas têm. É uma sonoridade característica do início do século passado”, diz Maria Teresa.

Encenar Forrobodó neste momento tem significados especiais. Um deles é a peça se passar na zona portuária, exatamente a menina dos olhos da reforma urbana em curso no Rio em função das Olimpíadas de 2016 – e, por isso, uma região que está envolta em contrastes sociais, também presentes na trama.

FICHA TÉCNICA:

Texto: Carlos Bettencourt e Luiz Peixoto     Músicas: Chiquinha Gonzaga     Direção: André Paes Leme
Direção Musical: Maria Teresa Madeira     Arranjos: Leandro Braga     Direção de Movimento: Duda Maia
Direção de Produção e projeto: Andréa Alves
Elenco: Flavio Bauraqui (Escandanhas), Érico Brás (Guarda Noturno), Juliana Alves (Sá Zeferina), Marcos Sacramento (Maestro), Pedro Miranda (Barradas), Alan Rocha (penetra/Lulu), Edna Malta (penetra), Joana Penna (Madame Petit Pois), Sara Hana (Pequena do frango/Ritinha ) e Sérgio Ricardo Loureiro (Praxedes/Rosa)
Músicos: Maria Teresa Madeira (Piano), Joana Queiroz (Clarinete e Sax), João Luís Areias (Trombone), Fernando Zanetti (Tuba), Oscar Bolão (Percussão)
Figurino: Espetacular Produções e Artes     Cenografia: Carlos Alberto Nunes     Iluminação: Renato Machado
Engenheiro de Som: Fernando Fortes     Diretor Assistente: Anderson Aragón
Assistente de Direção Musical: Daniel Sanches     Assessoria Histórica e Dramaturgia: Angela Reis     
Fotografia: Silvana Marques     Programação Visual: Gabi Rocha
Assessoria de Imprensa: Daniella Cavalcanti – Assessoria de Imprensa     Promoção: TV Globo, MPB FM e Elemidia
Apoio: Sesc e Costa Porto Logística     Patrocínio: Eletrobrás, Grupo Seres, Lei do ISS, Prefeitura Rio Cultura
Realização: Sarau, Ministério da Cultura e Governo Federal


Espetáculos esses que valem a pena assistir!
 

Izan Sant

Izan Sant

Um autor super do Bem.

Entrar

presente de artista

Bem-kete

As Dez Mais ( II ) — Qual a sua melhor novela? ******** What is your best soap opera? ******** Com as suas versões americanas.

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

msg do mês

Rapha Targino - Msg do Mês de agosto

Aniversariantes

  • Alessandra Negrini (atriz)
  • Almir Rouche (cantor e compositor)
  • Amandinha Sousa (estudante – Pres. Epitácio/SP)
  • Ana Carla Andrade (fot., profra./Geografia, Paulista)
  • André Garrel (ator – Recife/PE)
  • Anie Mello (monitora/Fisiologia – Itapissuma/PE)
  • Augusto Mendonça (ator e arquiteto – Recife)
  • Bruna Lombardi (atriz e escritora)
  • Cássio Gabus Mendes (ator)
  • Chico Lins (consultor – Recife)
  • Claudio Simões (ator, dramaturgo e roteirista)
  • Danielle Monteiro (apresentadora de TV – Recife)
  • Edimilson José Gomes (Recife)
  • Edione Menezes (adva./educadora, Petrolina/PE)
  • Fafá de Belém (cantora e atriz)
  • Fernanda Mello (estudante – Igarassu/PE)
  • George Baiá (vice-Prefeito – Ilha de Itamaracá/PE)
  • Hemerson Moura (ator – Jaboatão dos Guararapes)
  • Igor Frankly (cantor/func. público – Recife)
  • Irene Melo (profa./Português – Cruz de Rebouças)
  • Jeff Rozzendo (ator e analista contábil – Recife)
  • João Mesquita (ator e diretor – São Paulo/SP)
  • Leidson Ferraz (ator/professor de teatro – Recife)
  • Lucimar Santos (educadora – Igarassu)
  • Marcelo Vaz (hairdesigner e dançarino – Recife)
  • Maria Conceição Lacerda (educadora – Paulista)
  • Maria Luiza (pedagoga – Recife)
  • Maria Tereza Braz (artista plástica – Carnaxide/PT)
  • Mariana Santos (atriz e Youtuber – Carpina/PE)
  • Marjory Porto (cantora – Florianópolis)
  • Messinho Marra (cantor e policial – Recife)
  • Murilo Vasconcellos (cirurgião plástico – Recife)
  • Ny Liima (tecn./Administração, Itapissuma)
  • Paulo Fernando (empresário: Flash Artes – Paulista)
  • Pedro Santana (escritor e compositor – Recife)
  • Pricila Barbosa (univ., Jaboatão dos Guararapes)
  • Rodrigo Raposo (jornalista e cantor – Recife)
  • Rosângela Tavares (profa./Português – Paulista)
  • Saile Campos (comunicadora social, Abreu e Lima)
  • Sharley Santos (cinematographer – Rio de Janeiro)
  • Silvana Lima (sócio-prop. Zero81 Comunic., Olinda)
  • Simone Figueiredo (atriz, gestora, arte-educadora)
  • Suzana Vieira (atriz)
  • Sylvia Massari (atriz e cantora de musicais)
  • Tássio Rennalli (advogado/JFPE – Recife)
  • Vitor Areias (Chef, Estória Restaurante – Oeiras/PT)
  • Walter Gabriel (aposentado – Ilha de Itamaracá)
  • Wesley Eure (actor/singer/author/producer/director)
  • Zaira Zambelli (atriz, produtora e diretora teatral)

Eventos

  • 01. Em SANTO ANTÔNIO DA PLATINA/PR: “Sequestro121 – Heróis às Avessas”, com ALEXANDRE CONTINI e CARINA SACCHELLI – 20h – Sesi Santo Antônio da Platina
  • 02. Em LONDRINA/PR: entrevista com o cantor TOFALINI – 19h – Rádio Brasil Sul
  • 04. Em LONDRINA/PR: show com o cantor TOFALINI – a partir da 1:00h AM – CooL Eventos / Rua José Roque Salton, 33
  • 05. Dias 4 e 5, em LONDRINA/PR: “Sequestro121 – Heróis às Avessas”: ALEXANDRE CONTINI e CARINA SACCHELLI – 19:30h – Centro Cult. Sesi
  • 17. Em CAMBÉ/PR, show: cantor TOFALINI, 19:30, Noruega Espetinhos, Rua Noruega, 214, Centro
  • 18. Em APUCARANA/PR: Show “Quem Não Bebe Beija”, com TOFALINI e GIOVANI FELIX, 21h – BISTRÔ PUB HOUSE / Av. Carlos Schmidt, 112 – Reservas: 43-98806-6705, Inf.: 43-99104-8889
  • 25. OLINDA: LAURA PAUSINI – Cadeira: R$ 300, R$ 150 (meia); Cadeira VIP: R$ 400 – Vendas: bilheteria do Teatro Guararapes, lojas TicketFolia (Shoppings Recife, Guararapes, RioMar, Tacaruna e Boa Vista) e site www.evemtim.com.br / Classic Hall

FOTO DE BEM

Marina Amorim - Foto de Bem de agosto

Facebook

Entrevista

Arquivos

VÊ, GALERA – Clica