Conto: “Dividindo a namorada”

Dividindo a namorada.
Feliz da vida, Naty disparou para o quarto. Pegou o diário e a caneta e começou a metralhar tinta pink nas páginas:

“Segunda-feira, Dia dos Namorados, tardinha.

Que show de bola, diário! Diogo aceitou me dividir com ele!

Mas como foi difícil, meu namorado não é mole, não, mais parece um homem das cavernas, diz que namorada dele só deve ter olhos pra ele, pode? Hoje mesmo, pela manhã, ele me falou isso. Depois, cedeu.

Foi preciso um mês pra eu convencer o cara. Me tornei mais atenciosa com ele, mais carinhosa, mais obediente… Até trocar as minissaias pelas calças compridas, troquei. Menos batom, menos blush, menos sombra, menos riso… A mais, só a roupa e o grau de comportamento. Tolice! Eu já tava ficando histérica de tanto esperar pelo sim dele, quando, há pouco, ousei dizer ao teimoso:

— Cansei de ser enrolada por você, Diogo, e eu não sou fio pra isso. Te amo muito, mas das duas, uma: ou você aceita, pra valer, me dividir com ele ou a gente rompe o namoro agora. Tô falando sério!

— Eu não posso te dividir com ele! — ele me respondeu, impaciente.

— Você já me dividiu com tantos outros, rapaz, qual é agora, hein?

— Só que os outros de antes não eram ele…

— Ah, é, mocinho? Então, qual a diferença entre os outros e ele, quer me dizer?

— Não gosto dele. Simplesmente não gosto, Naty.

— Por quê? Você sempre foi tão nem-aí pros outros… Para com esse ciúme bobo, cara. Estamos nos tempos modernos, Terceiro Milênio, lembra? Robôs, Internet, supercelulares…

— Mas isso tudo aí não me deixa bolado, não. O que você quer fazer, ficando com aquele outro lá, isso, sim.

Relaxei. Tentando entender melhor aquela cabecinha, perguntei com ternura:

— E você tem medo do quê, hein, amor?…

— Te perder, Tatá — a resposta foi de pronto!

— Me perder?… — me surpreendi.

— É. Sempre que você tá com qualquer outro, eu me sinto vaziozão, entende? É como se ele tivesse arrancado você de mim pra sempre!

— Diogo… que coisa sem noção! — Era sem noção mesmo.

— Sem noção? Vai que você se empolga com esse aí, resolve se aventurar mais com ele do que com os outros, aí me esquece e me abandona, né?!

Inacreditável, aquilo! Como diria o outro daquela novela que acabou, eu devo ter pintado de ruivos os cabelos de Sansão, pra ter que ouvir uma coisa daquelas! Bom… mas respirei fundo. De surpresa, beijei Diogo ardentemente, como nunca tinha beijado antes, pra tranquilizar o coração dele; depois, aproveitando o desarmamento do babaca, confessei:

— Nunquinha que vou te deixar, Diogo. Eu te amo! Olha, sou apaixonada por tudo em você: teus olhos, tua boca… teu cheiro, esse teu cabelo espetadão… tuas roupas largadonas, tua ideologia não-às-drogas… Até por teu mau-humor, sabe? Sou completamente doida por você, mas… também tô loucamente apaixonada por ele, e isso desde que a Silvinha me falou dele, me apresentou a ele na casa dela… Ah, quero tanto poder ficar com ele sem ter que abrir mão de você, neném… Será que não dá pra compreender isso?

— Não — respondeu, seco.

— Não? — cansei. Fui ríspida: — Então prefere que eu fique com ele às escondidas?

— Você não seria capaz — duvidou, baqueado.

— Sou, e não há quem me impeça! — contra-ataquei. — Você não é meu dono, cara, helloou!…

Helloou, uma ova!

— Tudo bem, trégua. Vem cá, me diz uma coisa, sinceramente: do que mais você não gosta nele? Já me dividiu com tantos… Do que mais, exatamente?

— Exatamente, exatamente… do nome dele, tem uma palavra de que eu não gosto… — e me disse qual era a palavra.

Só por aquilo?! Ah, meu amor por Diogo se agigantou naquele momento. Beijando a orelha dele ao mesmo tempo em que eu lhe afagava os cabelos, senti que ele tinha me dado a permissão pra eu ficar com os dois.

Antes de a gente se despedir, Diogo me prometeu trazê-lo pra dormir comigo, ficar comigo. Quando ele promete, cumpre, chova ou faça sol! É como promessa divina. Bom, mas chega de papo, Diário, que, daqui a pouco, os dois vão estar aí. Tenho que me cuidar. Preciso realçar minha beleza!”

Diário devolvido ao lugar de sempre, Naty partiu pro ritual da beleza, a gata considerava um ritual o se produzir.

Despida, parte do corpo imersa nos sais de banho, nas ervas aromáticas, ela brincava com as bolhas. Pose sensualíssima, bastante espuma pra soprar. Autoabraço, relaxamento. Prazer. Alegria no cair daquela noite gostosa e curitibana de inverno.

O quarto, na penumbra lilás do abajur, aquecia-se só de abrigar a ninfeta a se secar e vestir. O minivestido branco, sobre a pele bronzeada, incrivelmente alheia ao frio, lhe caiu como uma luva; o batom vermelho, mais ainda na boca louca. Cabelos úmidos, cheiro de rosas, ela se contemplou através do imenso espelho. Belíssima!

Toque de campainha!

— São eles! — vibrou, indo atender sobre saltos altos também vermelhos; o corpo, tão candente quanto o coração, prestes a explodir de êxtase.

Eram eles, sim. Mas nem deixou Diogo abrir a boca, sequer entrar. Apenas o outro. Só o outro. Tudo seria para o outro naquela noite. Tirou a “roupa” dele, que a impedia de vê-lo como realmente era, e o levou ao quarto, deitou-se em sua companhia. Havia muito tempo que esperava por isso, para tê-lo no Dia dos Namorados. E o encheu de beijos, de abraços… Ia dormir com ele, nem acreditava!

No dia seguinte, começou a devorá-lo. O papel de presente, a “roupa” dele, ainda repousava no chão da sala, junto à porta.

Diogo tinha deixado de fricotes e havia comprado o “outro” pra ela. O romance A menina que roubava livros, o book dos sonhos de Naty, pela excelente história! De família muito religiosa, Diogo não gostava do nome roubava no título.

Eles até que poderiam ler juntos, não é mesmo? Pena Diogo não apreciar a leitura…
 

(Recriado do meu texto O conto do diário, de 09-06-2007)
 

Ainda não curtiu o Face do Papo? CLICA!

Izan Sant

Izan Sant

Um autor super do Bem.

Expresse-se...

Entrar

presente de artista

Bem-kete

Tem cor preferida para maio? Se tem, é...?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

msg do mês

MSG DO MÊS - Thaisi Melo

Aniversariantes

  • Alcione Mazzeo (atriz)
  • Alexandre Mandarino (ator, diretor, produtor)
  • Alexsandro Mota (advogado – Itapissuma/PE)
  • Ana Paula Gaudêncio (modelo – São Paulo/SP)
  • Andrezza Azevedo (promot./Vendas – Recife/PE)
  • Ângela Maria (cantora)
  • Bernardo S. Bezerra (fot. – Feira de Santana/BA)
  • Betty Faria (atriz)
  • Caíque Ferraz (ator – Recife)
  • Chitãozinho (cantor)
  • Clóvis Bézer (dir. presidente Bézer Produções)
  • Cristianne Fridman (novelista)
  • Ewerton Souza (func. CSI, Abreu e Lima)
  • Fabyano Nascimento (coord. pedagógico – Recife)
  • Fillipe Ramos (ator, doublê, diretor – Recife)
  • Flávio Andrade (ator e humorista – Olinda/PE)
  • Giovanna Antonelli (atriz)
  • Giselda Ouverney (func. pública – Nova Friburgo)
  • Gretchen (cantora)
  • Helena Ranaldi (atriz)
  • Henrique Tavares (ator, roteirista, diretor teatral)
  • Ingrid Zavarezzi (autora, roteirista e publicitária)
  • Ivete Sangalo (cantora e atriz)
  • Jânio José Siqueira (assist. social – Aiuruoca/SP)
  • Jhonhson Willame (técn./fotografia – Abreu e Lima)
  • José Luiz Datena (apresentador de TV)
  • José Tenório (prefeito – Itapissuma)
  • Junior Barros (profissional de Marketing – Recife)
  • Lucas Vinícius Araújo (universitário, Olinda)
  • Lucélia Santos (atriz, diretora teatral e produtora)
  • Luiza Tomé (atriz)
  • Luna Teixeira (repórter e fotógrafa – Portugal)
  • Manuella Cabral (tec. em Farmácia – Itapissuma)
  • Márcio Santana (motorista – Poços de Caldas/MG)
  • Marcos Barreto (ator – Salvador/BA)
  • Maria Fernanda Cândido (atriz)
  • Mayara Magri (atriz)
  • Neide Silva (cristã e empreendedora – Olinda)
  • Nemu Campos (ator)
  • Oscar Alejandro (ator, cantor, modelo e dançarino)
  • Robert Pattinson (ator, o Edward de “Crepúsculo”)
  • Rodrigo de Luna (jornalista e repórter – Recife)
  • Rosario Boyer (cineasta e roteirista)

Eventos

  • 03. Chico Buarque, no show “Caravanas” – 21h30 – Balcão: R$ 250, R$ 125 (meia); Plateia: R$ 490, R$ 245 (meia) – Ingressos: bilheteria do local e site Bilheteria Virtual – Teatro Guararapes, Centro de Convenções / Avenida Professor Andrade Bezerra, s/n, Salgadinho, Olinda
  • 12. Em RECIFE: Fagner – 21h – Lounge: R$ 200, R$ 120 (social), R$ 100 (meia); Mesa Premium: R$ 700; Mesa Sênior: R$ 600 – Ingressos: site Bilheteria Digital – Cabanga Iate Clube / Avenida Engenheiro José Estelita, s/n, Cabanga – Telefone: 3035-0003
  • 18. No RIO DE JANEIRO: “Champagne e Confusão”, comédia com SYLVIA BANDEIRA e ótimo elenco – De sexta a domingo – 19:30 – até dia 10 de junho, Teatro Maison de France / Avenida Presidente Antônio Carlos, 58
  • 18. Em RECIFE: Pedro Mariano, “Piano e Voz” – 21h – Balcão Nobre: R$ 60, R$ 30 (meia); Plateia Alta: R$ 100, R$ 50 (meia); Plateia Baixa: R$ 140, R$ 70 (meia) – Ingressos: bilheteria do teatro e site www.uhuu.com – Teatro RioMar / Avenida República do Líbano, 251, Pina – Informações: www.teatroriomarrecife.com.br
  • 25. Zé Ramalho – 21h – Balcão: R$ 154, R$ 77 (meia); Plateia: R$ 194, R$ 97 (meia); Plateia especial: R$ 234, R$ 117 (meia) – Ingressos: site Eventim – Teatro Guararapes

FOTO DE BEM

Edmar Graciliano - A Foto de Bem de fevereiro 2017 - Esta

Facebook

Entrevista

Arquivos

VÊ, GALERA – Clica