Entrevista Especial: HEITOR DHALIA


Um dos mais extraordinários cineastas brasileiros, sem dúvida alguma

Heitor Dhalia
Recifense da gema e ex-aluno do Colégio Nóbrega, de Recife, HEITOR, que iniciou a carreira como redator publicitário, é dono de um currículo valoroso em comerciais de televisão e longas-metragens.

No cinema, deu o primeiro chute na bola com os curtas A Pantomima da Morte e Conceição. Seu primeiro longa foi As Três Marias; no entanto, como roteirista. Como diretor, estão, entre outros, os filmes Nina, À Deriva e Gone — este último, um suspense americano com atuação da atriz Amanda Seyfried. Gone (12 Horas em terras brasileiras) marcou a estreia de DHALIA, que o escreveu e dirigiu, em Hollywood.

Na televisão, após o sucesso de Serra Pelada, seu longa em formato de minissérie, ele esteve na direção de O Caçador, numa parceria com o célebre José Alvarenga.

Mas, agora, chega de informações por aqui, pois o cineasta conversa com a gente.    
 

IZAN SANT – Cinema para Heitor Dhalia: amor ou paixão?

HEITOR DHALIA Amor, porque já dura muito tempo. Mas diria que é um amor apaixonado porque a chama da paixão está sempre por ali.
 

IS – Ser do Recife, ir morar fora do Estado, fazer cinema nesse cenário competitivo que temos, depois ganhar os EUA. Foi muito difícil?

HD Fazer cinema é uma das coisas mais difíceis que existem. Não importa de onde você é ou onde você esteja. Sempre será um desafio.
 

IS – Você tem um supercurrículo em publicidade e uma filmografia invejável, como falei antes. Mas por qual (ou quais) dos seus trabalhos você mais tem simpatia?

HD Eu sou apaixonado pelo “À Deriva” e tenho um carinho especial pelo “O cheiro do Ralo”.
 

IS – Já concebeu Serra Pelada sabendo que o filme poderia virar minissérie, ou não?

HD Sim, nós já estávamos a conversar com a Globo quando filmamos o longa.
 

IS – Sobre 12 Horas (Gone). O que sentiu de diferente entre dirigir este longa nos EUA e dirigir aqui no Brasil?

HD É jogar fora de casa. É sempre mais difícil. E num sistema de indústria como aquele, que não é nada fácil.
 

IS – Voltando a falar em Brasil, como foi estar na direção de O caçador, essa produção de sucesso da Globo?

HD Foi uma experiência ótima. Adorei fazer TV, quero repetir. Adorei trabalhar com o Cauã e com toda a equipe da Globo.
 

IS – Muitas saudades do nosso Recife, a Veneza Brasileira?

HD Sim, o Recife está no coração. Eu sempre vou morar emocionalmente ali.
 

IS – Já tem planos de novos trabalhos? Conta à gente.

HD Sim, estou com alguns projetos em desenvolvimento. Uns 3 ou 4.
 

IS – Um bate-bola, vamos lá? Filme e diretor cinematográfico?

HD – “Os Sete Samurais” e Kubrick.
 

IS – Escritor preferido e melhor livro que já leu!

HD Dostoiévski e “Ilusões Perdidas”.
 

IS – Alguma telenovela o prendeu do começo ao fim?

HD As da minha infância.
 

IS – Um ator e uma atriz!

HDWagner Moura e Sophie Charlotte.
 

IS – Perfume!

HD Não uso.
 

IS – Uma saudade…

HD Do Recife.
 

IS – Uma paixão (aqui, já não vale o cinema).

HD Xadrez.
 

IS – A vida no Brasil é…?

HDBoa e bem divertida.
 

IS – Um sonho de consumo? Ou não tem mais?

HDNão sou muito consumista, na verdade. Quero comprar tranquilidade, mas isso não está à venda.
 

IS – Família!

HDGlória e Vera. Minha filha e minha mulher. Nada como chegar em casa e alguém de dois anos falar: “Papaizinho”.
 

IS – Um conselho aos jovens cineastas?

HDEstudem dramaturgia.
 

IS – Chegou a hora dela, nossa inevitável pergunta! Qual sua mensagem super do Bem a todos aqueles que o admiram pelo profissional que você é?

HDNão desistir nunca dos seus sonhos, por mais impossíveis que eles possam parecer.
Paranoid.
 

Fotos: Gentilmente permitidas por Heitor Dhalia               

Curta nosso Face com este CLIQUE.

Izan Sant

Izan Sant

Um autor super do Bem.

Expresse-se...

Entrevista

VÊ, GALERA – Clica

msg do mês

Glória Valcácer - Msg do Mês de outrubro - 2018

VOCÊ AQUI

Camila Duarte - Foto de Bem de outubro - 2018

presente de artista

Aniversariantes

  • Adriana Calcanhotto (cantora)
  • Adrielly Henry (atriz – Recife/PE)
  • Alcina Nascimento (educadora – Igarassu/PE)
  • Ângelo Santoro (coreóg., superv./vendas – Recife)
  • César Santos (chef de cozinha – Olinda)
  • Cláudia Abreu (atriz)
  • Cléo Pires (atriz)
  • Cynthia Nunes (estudante – Recife)
  • Danilo Rojas (bailarino – Recife)
  • Dayse Figueiredo (empresária, Lulu Bijoux – RJ)
  • Eletana Targino (coord. da LFG – Alta Floresta/MT)
  • Fabinho Seven (prop. Infohouse – Recife)
  • Fagner (cantor)
  • Fellipe Maia (Cofundador Berlim Digital – Recife)
  • Fernanda Montenegro (atriz)
  • Fiuk (ator e cantor)
  • Flávio Leimig (modelo e ator – Recife)
  • Gabriela Castello Buarque (universitária – Recife)
  • Gil Ayres (universitário, UFPE – Recife)
  • Glória Menezes (atriz)
  • Ilka Nóbrega (bibliotecária – Igarassu)
  • Izabella Nóbrega (bibliotecária – Igarassu)
  • Josy Ventura (administradora, atriz – Recife)
  • Kayky Brito (ator)
  • Manuela Sena (administradora – Recife)
  • Marcella Muniz (atriz)
  • Marcello Picchi (ator)
  • Marisa Orth (atriz)
  • Miguel Falabella (ator)
  • Miguel Teixeira (produtor cultural – Recife)
  • Najla Rocha Leite (gestora adjunta – Olinda)
  • Nasaré Azevedo (profa.: Filosofia – Bezerros/PE)
  • Pascoal Filizola (ator e arte-educador – Recife)
  • Pelé (ex-jogador / Rei do Futebol)
  • Pitty (cantora)
  • Priscila Camargo (atriz e contadora de histórias)
  • Rafael Cabral (jornalista e sanitarista – Olinda)
  • Rodrigo Faro (ator, cantor e apresentador/TV)
  • Sérgio Xavier (emp. Grupo inovsi – Recife)
  • Sinho Mello (cantor/educador físico – Recife)
  • Tássio Rennalli (advogado – Recife)
  • Thais Caseli (oper.: Direirto/concurseira – Recife)
  • Tofalini (cantor/compositor – Cambé/PR)
  • Vicktor Lira (booker/modelo/ator – Banguecoque)

Eventos

  • 19. Em São Paulo/SP: Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 21h – de 29/09 a 04/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana
  • 20. Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 21h – de 29/09 a 04/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana
  • 21. Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 18h – de 29/09 a 04/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana
  • 26. Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 21h – de 29/09 a 04/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana
  • 27. Em Recife/PE: Happy Holi – 14h – R$ 55 (pista) / R$ 85 (backstage) à venda site e app Bilheteria Digital – Área externa Centro de Convenções de Pernambuco / Complexo Salgadinho, S/N
  • 27. Em São Paulo/SP: Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 21h – de 29/09 a 04/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana

Recomendo

Entrar

Arquivos