Trinta dias de bombardeio

Texto: pela Professora Márcia Regina dos Santos,
pois o Papo de Bem, em nome na liberdade de expressão, não se intromete no teor dos escritos e materiais enviados por seus leitores e/ou colaboradores.
Imagens: Professor Nero Lima e Professora Márcia Regina.
 

29 de abril de 2015, dia em que ocorreu o inesquecível massacre de professores, estudantes, funcionários do Estado e outros cidadãos presentes à Praça Nossa Senhora de Salete, no Centro Cívico de Curitiba.
Aglomeração no Centro Cívico. Todos pela Educação!

Professores, funcionários e estudantes se mobilizaram para manifestar contrariedade à votação do projeto de lei que faria alterações no plano previdenciário dos servidores públicos. Vale destacar o fato dos valores previdenciários serem descontados todos os meses do salário dos professores, ou seja, o dinheiro era deles por direito, e, pela lógica, nem precisariam estar defendendo aquilo que já lhes pertencia.
Educadores em luto.

Porém, no Paraná, precisam deflagrar greve e organizarem grandes manifestações não para reivindicar direitos, mas para mantê-los. Reuniram-se na Praça dos Três Poderes, para apenas exercer a cidadania e viram-se impedidos de acompanhar a sessão por meio de um interdito proibitório expedido pelo Poder Judiciário e foram expulsos da Praça Nossa Senhora de Salete por bombas de gás lacrimogêneo, spray de pimenta, jatos d’água, helicópteros, que também lançavam bombas em voos rasantes sobre a população.
Gizes: armas benéficas ao povo.

Os estudantes presentes também foram feridos, uma adolescente perdeu a audição e muitos jovens estão abalados emocionalmente e desacreditados daquele que governa o Estado e se intitula “O governo do diálogo e da paz”. E mesmo com tiros, bombas e até mordidas de cães, o maléfico projeto foi votado e sancionado por Richa no dia seguinte.
Os Educadores não querem guerra, querem reconhecimento.

Sentindo-se roubado pelo Poder Executivo e chacoteado pelo Poder Legislativo, o poder do povo exauriu-se em sangue e lágrimas.
Sangue e lágrimas...

O saldo da insanidade do governo contabiliza-se em 213 professores feridos por balas de borracha, inclusive no rosto; um desses professores perdeu, além da sua perspectiva de futuro, a visão de um dos olhos. E mesmo os professores e funcionários que não estavam presentes foram atingidos e todos permanecem enlutados.
Os feridos da situação.

Um mês se passou, mas ainda se ouvem estrondos e a cada minuto os olhos ardem e o coração sangra, a cada amanhecer a alma se abala e os olhos procuram um lugar seguro, um lugar em que a Lei e a Justiça possam proteger também o povo. Este lugar parece longe e inalcançável, pois assistimos os três poderes cerzidos contra os direitos adquiridos em outras batalhas também sangrentas no passado.
Gases lacrimogênios no ar.

Os dias passaram, mas o véu funesto do gás lacrimogêneo tomou forma de projeto de lei e faz arder a alma e a dignidade dos professores e demais servidores públicos estaduais.
Mais gases lacrimogênios no ar.

A cada notícia, a cada proposta, uma nova bomba é lançada sobre as carreiras e sobre os direitos dos professores, que são tomados por intransigentes ao não aceitarem ver escorrer pelos ralos da corrupção e do mau gerenciamento das contas púbicas seus direitos de cidadãos.
A Educação é o melhor caminho.

A lembrança amarga do dia do massacre nunca lhes sairá da mente, do corpo e do coração. Enquanto isso, seguem na Praça Cívica os três poderes unidos para manter o povo na vil ignorância do saber, pois os mestres estão feridos!
Curitiba em luta pela Educação.


E o que é Educação para Karl Kraus?

" aquilo que a maior parte das pessoas recebe, muitos transmitem e poucos possuem."

Izan Sant

Izan Sant

Um autor super do Bem.

Expresse-se...

Entrevista

VÊ, GALERA – Clica

msg do mês

Glória Valcácer - Msg do Mês de outrubro - 2018

VOCÊ AQUI

Camila Duarte - Foto de Bem de outubro - 2018

presente de artista

Aniversariantes

  • Adriana Calcanhotto (cantora)
  • Adrielly Henry (atriz – Recife/PE)
  • Alcina Nascimento (educadora – Igarassu/PE)
  • Ângelo Santoro (coreóg., superv./vendas – Recife)
  • César Santos (chef de cozinha – Olinda)
  • Cláudia Abreu (atriz)
  • Cléo Pires (atriz)
  • Cynthia Nunes (estudante – Recife)
  • Danilo Rojas (bailarino – Recife)
  • Dayse Figueiredo (empresária, Lulu Bijoux – RJ)
  • Eletana Targino (coord. da LFG – Alta Floresta/MT)
  • Fabinho Seven (prop. Infohouse – Recife)
  • Fagner (cantor)
  • Fellipe Maia (Cofundador Berlim Digital – Recife)
  • Fernanda Montenegro (atriz)
  • Fiuk (ator e cantor)
  • Flávio Leimig (modelo e ator – Recife)
  • Gabriela Castello Buarque (universitária – Recife)
  • Gil Ayres (universitário, UFPE – Recife)
  • Glória Menezes (atriz)
  • Ilka Nóbrega (bibliotecária – Igarassu)
  • Izabella Nóbrega (bibliotecária – Igarassu)
  • Josy Ventura (administradora, atriz – Recife)
  • Kayky Brito (ator)
  • Manuela Sena (administradora – Recife)
  • Marcella Muniz (atriz)
  • Marcello Picchi (ator)
  • Marisa Orth (atriz)
  • Miguel Falabella (ator)
  • Miguel Teixeira (produtor cultural – Recife)
  • Najla Rocha Leite (gestora adjunta – Olinda)
  • Nasaré Azevedo (profa.: Filosofia – Bezerros/PE)
  • Pascoal Filizola (ator e arte-educador – Recife)
  • Pelé (ex-jogador / Rei do Futebol)
  • Pitty (cantora)
  • Priscila Camargo (atriz e contadora de histórias)
  • Rafael Cabral (jornalista e sanitarista – Olinda)
  • Rodrigo Faro (ator, cantor e apresentador/TV)
  • Sérgio Xavier (emp. Grupo inovsi – Recife)
  • Sinho Mello (cantor/educador físico – Recife)
  • Tássio Rennalli (advogado – Recife)
  • Thais Caseli (oper.: Direirto/concurseira – Recife)
  • Tofalini (cantor/compositor – Cambé/PR)
  • Vicktor Lira (booker/modelo/ator – Banguecoque)

Eventos

  • 19. Em São Paulo/SP: Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 21h – de 29/09 a 04/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana
  • 20. Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 21h – de 29/09 a 04/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana
  • 21. Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 18h – de 29/09 a 04/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana
  • 26. Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 21h – de 29/09 a 04/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana
  • 27. Em Recife/PE: Happy Holi – 14h – R$ 55 (pista) / R$ 85 (backstage) à venda site e app Bilheteria Digital – Área externa Centro de Convenções de Pernambuco / Complexo Salgadinho, S/N
  • 27. Em São Paulo/SP: Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 21h – de 29/09 a 04/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana

Recomendo

Entrar

Arquivos