Indo nas ondas da paixão

Rosario Boyer.
Quando um rumo profissional de futuro certo está praticamente definido, mas migramos para outro é porque estamos errados, não é mesmo?

Nem sempre.

O acerto aconteceu com Rosario Boyer, ao descobrir que, na verdade, era apaixonada por cinema logo após cursar Direito.

Quando me formei, não estava muito satisfeita com a profissão escolhida e comecei a pensar que, se pudesse voltar no tempo, queria ser diretora de cinema. Um dia vi um anúncio do curso de Cinema da Universidade Estácio de Sá e fui correndo fazer minha inscrição”, diz Rosario, um dos prestigiados nomes no mundo cinematográfico nacional e internacional.

Diretora, roteirista e produtora. Na nossa berlinda do Bem, portanto, ela, que acumula prêmios sem cessar no campo onde atua. Que venham mais!
 

EXCLUSIVA ENTREVISTA
 

IZAN SANT – Do cinema nacional, qual a sua maior referência em roteiro?

ROSARIO BOYER – Gosto muito de Júlio Meloni.

 

IS – Premiação atrás de premiação! Ao seu ver, o que de mais notável possui Os Tubarões de Copacabana, pra conquistar tantos prêmios?

RBA temática do roteiro fala de valores que interessam a todos: amor, amizade, família, mas, sem dúvida, o fator determinante foram os atores, que fizeram um excelente trabalho.
Rosario Boyer na Calçada da Fama.


IS - Uma frase que mais traduz o longa?

RBA frase que consta no cartaz, acima da foto dos surfistas: “As mais perigosas são as ondas da paixão”.
As paixões fazem parte deles.


IS – Raul Gazolla, Rayanne Morais, Alcione Mazzeo, Ricardo Macchi, Marcos Veras são alguns nomes — dentre outros, extraordinários — do longa-metragem. Você pode nos contar o segredo de escolher tão acertadamente um elenco?  

RBFoi difícil conseguir o protagonista masculino, que tinha que ter 50 anos, saber surfar muito bem e ser muito atraente. O primeiro nome que veio à minha cabeça foi o de Evandro Mesquita, que adorou o roteiro, mas estava sem tempo, com muitos compromissos com a banda. Foi quando um amigo falou que Raul Gazolla surfava e adorei a ideia. Enviei o roteiro para Raul, que aceitou na hora. Para o papel de Nicole, necessitávamos de uma garota que tivesse olhos azuis, de muita beleza. O diretor de Fotografia, Neto Favaron, conheceu a Rayanne na praia de Copacabana, quando estava fazendo um teste com câmera subaquática. Rayanne, que era Miss Minas Gerais e depois foi Miss Rio de Janeiro, disse que estava cursando teatro na Cal e ele a convidou para fazer o teste de elenco. Com Alcione Mazzeo eu já tinha falado em relação a outro filme, e vi que ela era bastante parecida com Rayanne Morais, ideal para fazer o papel de mãe da protagonista. Ricardo Macchi fez teste para o papel de professor da escolinha de Surf e foi tão bem que pareceu que a personagem tinha sido criada para ele. A parte cômica do filme, ficou a cargo de Marcos Veras por sugestão de Raul Gazolla. Conseguir os atores certos foi uma mistura de boas relações e muita sorte.
Produção e parte do elenco de "Os Tubarões de Copacabana".


IS – A Rayanne recebeu o prêmio de melhor atriz no 5º. Dada Saheb Phalke Film Festival, em Nova Deli, na Índia. Ao receber a notícia, a Rosario reagiu…?  

RBFiquei feliz, mas não me surpreendi. Eu sempre incentivava os atores dizendo que ganhariam prêmios pelo filme. Alcione Mazzeo, Guil Silveira e  outros também mereceriam ganhar, mas, infelizmente, tem poucos festivais que premiam os atores coadjuvantes.
Esses "Tubarões" são demais.


IS – Embora já tenha colocado isso em alguma outra entrevista, o que é cinema pra você?

RBMinha paixão.
Rosario World Premiere.


IS – Quais os diretores atuais que você mais admira? Ou, pelo menos, um.

RBComo Diretora do Festival Brasil de Cinema Internacional, acabei de assistir os 1066 filmes que se inscreveram este ano para a 3ª. edição e fiquei surpresa com os trabalhos apresentados por novos diretores, do Brasil e do mundo. Porém minha preferência continua por Woddy Allen, Almodóvar, o argentino Juan José Campanella, e, do Brasil, o diretor Edu Felistoque.
Todos da Escolinha de Surf.


IS – Quanto aos novos projetos? Vai pintar um novo filme?

RBPlanejo realizar um longa em co-produção com o produtor argentino Fernando Leanza. É a história de um brasileiro que viaja para Buenos Aires para buscar a sua mulher, que foi embora com um argentino e, chegando ao país vizinho, tem que ganhar a vida dançando tango. Se chama “Vinho, Mulheres e Dor de Cotovelo”. A ideia é ter novamente Gazolla como protagonista.
Alcione Mazzeo, Raul Gazolla e Rosario.


IS – Falamos bastante em longa. Agora, trabalhar em um curta-metragem, como cineasta, é exercitar a liberdade criativa e artística?

RB – Sim, já fiz alguns curtas, mas reconheço que não tenho muita habilidade para histórias de pouca duração. Gosto de trabalhar profundamente o lado psicológico das personagens e isso requer tempo. Admiro os realizadores que apresentam histórias maravilhosas em poucos minutos, infelizmente eu não consigo.
Rosario em Encontro importante.


IS – Por qual razão escolheu o Brasil como sua casa de atuação profissional?

RBEu escolhi o Brasil para morar, vim passar férias, achei o Rio de Janeiro uma cidade incrível e fiquei aqui. Se fosse pela profissão, jamais tivesse escolhido Brasil; aqui, fazer cinema independente é muito sacrificado.
Rosario reunida em premiação.


IS – Rosario Boyer, hoje, é que tipo de cineasta? Mudou um pouco, desde nossa entrevista a outro veículo pra cá?  

Rosario Boyer, uma paixão de Cineasta.
RBSempre fiz cinema autoral e, Deus mediante, vou continuar fazendo.
 

IS – Pra finalizar, como sempre fazemos, uma mensagem super do Bem aos cinéfilos daqui do site!

RBPeço que continuem apoiando o cinema nacional, como tem acontecido ultimamente. O cinema faz as pessoas mais felizes.

 

Fotos:

Divulgação

e

ARQUIVO
PESSOAL
RB

 

Izan Sant

Izan Sant

Um autor super do Bem.

Expresse-se...

Entrar

presente de artista

Bem-kete

Agora em janeiro, você vai praticar qual dessas boas ações?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

msg do mês

Ana Carla - MSG DO MÊS

Aniversariantes

  • Ary Fontoura (ator)
  • Cássia Kiss (atriz)
  • Cris Almeida (produtora cultural – Paulista/PE)
  • Cristiano Andrade (diretor executivo – Recife)
  • Danilo Tácito Rufino (ator – Niterói/ RJ)
  • Djavan (músico e cantor)
  • Emilio Orciollo Netto (ator)
  • Everton Tonetto (ator – Recife)
  • Filipe Pires (gerente Prime Bar/Comedoria – Recife)
  • Geraldo Azevedo (músico e cantor)
  • Gessyca Barbosa (profa./Educ. Física – Olinda/PE)
  • Grace Lira (bailarina – Jaboatão dos Guararapes)
  • Guilherme Fontes (ator/diretor de cinema)
  • Heitor Souto (modelo – Recife)
  • Isidro Manuel Marques (Taekwondo – Setúbal/POR)
  • Izan Sant (escritor, dramaturgo, roteirista, colunista)
  • Jaime Bomfim (diácono – Ilha de Itamaracá/PE)
  • Jô Soares (artista)
  • Karol Spinelli (atriz – Recife)
  • Lara Fabian (cantora, compositora e letrista)
  • Laryssa Moura (blogueira e Youtuber)
  • Luciano Camargo (cantor)
  • Maitê Proença (atriz)
  • Marcello Antony (ator)
  • Maria Luíza Nóbrega (universitária – Igarassu/PE)
  • Mateus Fagundes (repórter – SP)
  • Mateus Nachtergaele (ator)
  • Nando Reis (músico e cantor)
  • Nicete Bruno (atriz)
  • Pandycex Grimaldd GriNhuar (publicitário – RJ)
  • Patrícia Pillar (atriz)
  • Paulo Vilhena (ator)
  • Raoni Velozo (produtor executivo – Paulista)
  • Sandra Tavares (advogada – São Paulo)
  • Sandy (cantora)
  • Severina Dantas (advogada/pedagoga – Igarassu)
  • Tatiana Issa (atriz e produtora – Brasil/Nova Iorque)
  • Vítor de Oliveira (roteirista – São Paulo)
  • Willames De Morais Lima (segurança – Itapissuma)
  • Yeda Maria Cavalcanti (fonoaudióloga – Igarassu)

Eventos

  • 06. Marília Mendonça, Léo Santana e Aviões do Forró – 20h – R$ 50 (arena), R$ 100 (VIP), R$ 200 (lounge – open bar) Praia de Tamandaré, Litoral Sul de Pernambuco – Telefone: 3441-9660
  • 09. Caetano Veloso e seus filhos Moreno, Zeca e Tom – 21h – Plateia baixa: R$ 260, R$ 130 (meia); Plateia alta: R$ 200, R$ 100 (meia); Balcão nobre: R$ 140, R$ 70 (meia) – Vendas: bilheteria e site www.ingressorapido.com.br – Teatro RioMar Recife / Avenida República do Líbano, 251, Pina – Informações: www.teatroriomarrecife.com.br
  • 27. Alceu Valença, Preta Gil, Babado Novo, Silvana Salazar e Patusco: Arena: R$ 80, R$ 40 (meia), R$ 50 + um quilo de alimento (social); Front: R$ 140, R$ 70 (meia), R$ 80 + um quilo de alimento (social); Lounge Open Bar: R$ 170; Mesa para 4 pessoas: R$ 350; Camarote para 10 pessoas: R$ 2.500 – Vendas: Riachuelo, Litoraneus, Ingressos Prime, Ticket folia, Recife Ingressos, Bilheteria Digital e Central da Folia – Clube Internacional do Recife / Avenida Benfica, 505, Madalena

FOTO DE BEM

Marlon - FDB

Facebook

Entrevista

Arquivos

VÊ, GALERA – Clica