Curiosidades dos bastidores da peça “Obsessão”

Pela atriz Simone Figueiredo, a convite de Izan Sant 
 

Simone Fiqueiredo. Na vida real e no teatro.
Voltar depois de 15 anos provoca uma sensação diferente. Acredito que a maturidade pese nessas horas.

Quando recebemos o texto de Carla Faour, a autora, sabíamos que o diretor Henrique Tavares, que delicadamente topou embarcar nesse nosso sonho, tornando-o realidade, definiria as personagens. Pelo fato de ser um pouco mais nova que a outra atriz (Nilza Lisboa) e não ser mãe, acreditava que iria fazer o papel da intelectual Lívia. Ledo engano: na primeira leitura, o diretor pediu para eu ler Marina e determinou que eu faria esse personagem (Risos gostosos.).

Outra curiosidade é que, como sendo também produtora do espetáculo, sempre nos ensaios pensava em tudo que uma produção precisa. Mesmo dando as intenções das falas, não largava o texto, pois sempre estava ligada em questões de produção. Chegou uma hora que todos me olhavam e diziam: “Larga o texto”. E eu falava: “Não se preocupem, que na estreia estarei sem o texto na mão”. “Ufa!”, respiraram, aliviados, os atores quando larguei finalmente o danado. Será que 15 anos sem pisar no palco provoca esse estresse?

Falando em texto, desapareceram vários ao longo do processo; para ser mais exata, quatro. Quando eu o deixava de lado nos ensaios e voltava para acompanhar as cenas, me deparava com a desagradável surpresa “Cadê o meu texto?”. No final, os atores falavam: “De novo?” (Risos.) Acredito que esse tenha sido também o motivo de não querer largá-lo. O último, finalmente, está guardado a sete chaves, pois tem registrado o carinho da autora e do diretor.

Pensamos eu, Henrique Tavares e o músico Ricardo Monteiro Valença numa trilha de espera com músicas de origem latina (só tem uma música em inglês, mas trata-se de uma versão de um clássico) que falassem de amor. Chego um dia no teatro para apresentação e o operador de som, na correria, esqueceu a trilha. Eu na coxia, pronta para entrar em cena, ouvindo uma trilha qualquer. Eu, contrariada, falava: “Que música é essa?”, e os atores respondiam: “Relaxa. É apenas uma trilha de espera”; eu, danada da vida, dizia: “Pra vocês, que não sabem o cuidado que tivemos para construir.” Nesse dia, o músico foi assistir ao espetáculo, mas, felizmente, chegou no terceiro toque e não teve o dissabor de não ouvir a música usada para receber o público.

Um ex-presidiário foi assistir com um grupo de professores o espetáculo como forma de sociabilização. Era a primeira vez que ele ia a um teatro. Depois de rir bastante, ele larga essa: “Essa família é B.O (boletim de ocorrência) e essa coroa se garante (com a minha personagem, Marina)”. Saiu encantado prometendo voltar. Comprovamos que a Arte tem essa possibilidade de resgatar vidas.

Outra emoção ímpar foi subir no palco do Teatro de Santa Isabel, nosso templo maior, depois de tanto tempo. Principalmente por ter sido diretora desse patrimônio Cultural e arquitetônico.

Voltar como atriz e ser recebida com tanto carinho pela equipe que faz a família Santa Isabel foi uma emoção singular mesmo. Principalmente porque eles ficaram para assistir ao espetáculo, pois a grande maioria nunca tinha me visto em cena.
Obsessão. Temporada no Eva Herz.


Veja agora que diamante de frase disse Demi Lovato se referindo a ciúmes e obsessão:

"Ciúmes nem sempre é doença ou obsessão. É medo de perder, é cuidado, é proteção."
 

VÁ À FANPAGE DO ESPETÁCULO, ACESSE.
 

Fotos: DIVULGAÇÃO e ARQUIVO PESSOAL SIMONE FIGUEIREDO

Izan Sant

Izan Sant

Um autor super do Bem.

Expresse-se...

Entrevista

VÊ, GALERA – Clica

msg do mês

Glória Valcácer - Msg do Mês de outrubro - 2018

VOCÊ AQUI

Camila Duarte - Foto de Bem de outubro - 2018

presente de artista

Aniversariantes

  • Adriana Calcanhotto (cantora)
  • Adrielly Henry (atriz – Recife/PE)
  • Alcina Nascimento (educadora – Igarassu/PE)
  • Ângelo Santoro (coreóg., superv./vendas – Recife)
  • César Santos (chef de cozinha – Olinda)
  • Cláudia Abreu (atriz)
  • Cléo Pires (atriz)
  • Cynthia Nunes (estudante – Recife)
  • Danilo Rojas (bailarino – Recife)
  • Dayse Figueiredo (empresária, Lulu Bijoux – RJ)
  • Eletana Targino (coord. da LFG – Alta Floresta/MT)
  • Fabinho Seven (prop. Infohouse – Recife)
  • Fagner (cantor)
  • Fellipe Maia (Cofundador Berlim Digital – Recife)
  • Fernanda Montenegro (atriz)
  • Fiuk (ator e cantor)
  • Flávio Leimig (modelo e ator – Recife)
  • Gabriela Castello Buarque (universitária – Recife)
  • Gil Ayres (universitário, UFPE – Recife)
  • Glória Menezes (atriz)
  • Ilka Nóbrega (bibliotecária – Igarassu)
  • Izabella Nóbrega (bibliotecária – Igarassu)
  • Josy Ventura (administradora, atriz – Recife)
  • Kayky Brito (ator)
  • Manuela Sena (administradora – Recife)
  • Marcella Muniz (atriz)
  • Marcello Picchi (ator)
  • Marisa Orth (atriz)
  • Miguel Falabella (ator)
  • Miguel Teixeira (produtor cultural – Recife)
  • Najla Rocha Leite (gestora adjunta – Olinda)
  • Nasaré Azevedo (profa.: Filosofia – Bezerros/PE)
  • Pascoal Filizola (ator e arte-educador – Recife)
  • Pelé (ex-jogador / Rei do Futebol)
  • Pitty (cantora)
  • Priscila Camargo (atriz e contadora de histórias)
  • Rafael Cabral (jornalista e sanitarista – Olinda)
  • Rodrigo Faro (ator, cantor e apresentador/TV)
  • Sérgio Xavier (emp. Grupo inovsi – Recife)
  • Sinho Mello (cantor/educador físico – Recife)
  • Tássio Rennalli (advogado – Recife)
  • Thais Caseli (oper.: Direirto/concurseira – Recife)
  • Tofalini (cantor/compositor – Cambé/PR)
  • Vicktor Lira (booker/modelo/ator – Banguecoque)

Eventos

  • 19. Em São Paulo/SP: Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 21h – de 29/09 a 04/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana
  • 20. Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 21h – de 29/09 a 04/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana
  • 21. Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 18h – de 29/09 a 04/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana
  • 26. Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 21h – de 29/09 a 04/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana
  • 27. Em Recife/PE: Happy Holi – 14h – R$ 55 (pista) / R$ 85 (backstage) à venda site e app Bilheteria Digital – Área externa Centro de Convenções de Pernambuco / Complexo Salgadinho, S/N
  • 27. Em São Paulo/SP: Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 21h – de 29/09 a 04/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Santana

Recomendo

Entrar

Arquivos