“Ou Tudo ou Nada” com Fábio Bianchini


Notoriedade não é para qualquer um, não. FÁBIO BIANCHINNI, que esteve nas novelas de sucesso TititiCaras & Bocas e Guerra dos Sexos, além do curta-metragem Sinal, com Bianca Rinaldi, entre outros curtas, e dos longas FlordelisAs aventuras do Tio João, perdidos na floresta, está agora, arrasando, no elenco da montagem brasileira de Ou Tudo ou Nada, musical criado a partir de um êxito de bilheteria do cinema nos anos 90, The Full Monty. Fábio, dirigido por TADEU AGUIAR (o Xavier de Babilônia), dá vida a Bobby/Keno, um stripper colecionador de admiradoras nessa produção suntuosa e de elenco afiado. Ele vem sendo, nada menos, que um colírio para o público, principalmente o feminino, claro, e um acerto aos olhos de críticos, o que o faz realizado desde que abraçou com toda a sua força e talento este presente de personagem.
Fábio Bianchinni, Bobby.

Um dos momentos mais felizes de Bianchini, na televisão, ocorreu ao viver o Álvaro Assunção, amigo de Dercy Gonçalves (Heloísa Périssé) em Dercy de Verdade — dirigida por Jorge Fernando. Por ser um personagem sincero e positivista, acabou chamando a atenção dos telespectadores.

Positivamente com este querido ator, neste instante, mais uma
 

ENTREVISTA EXCLUSIVA.
 

IZAN SANT – Como pintou o convite para estar no musical?

FÁBIO BIANCHINIRecebi o convite três anos atrás, na época em que fazia a Peça “O dia em que raptaram o Papa”. Também dirigida por Tadeu Aguiar. Neste tempo ele já falou sobre o musical e sobre este mesmo personagem e se eu toparia fazer. (Na foto abaixo, com o ator Cláudio Mendes, no espetáculo.)
Bianchini em cena com Cláudio Mendes.


IS – O Bobby é o instigador para que o Jerry decida que irá conseguir dinheiro, através do strip-tease, para pagar a pensão do filho. Como você conceitua esse seu personagem, então, a partir dessa situação?

FBEle é um sobrevivente de toda a crise que acontece ali. É um cara que saiu do conforto da cidade a qual não mais oferta tal conforto e foi usar o que tinha de melhor, seu físico seu lado sexy e ganhar dinheiro desta forma, sendo um stripper. Dos motivos que leva Jerry a querer fazer o mesmo, a princípio é o preconceito em saber que um homem homossexual ganha dinheiro se apresentando para as mulheres, e ele, que se considera um homem de verdade, por ser heterossexual, não! Fica indignado com isso e resolve fazer o mesmo para espantar a crise. Depois acabam até mesmo virando colegas e até aprende uns truques com o stripper! (Aqui, ao lado do amigo Mouhamed Harfouch.)
Fábio Bianchini com os amigos Cláudio e Mouhamed.


IS – Grande parte das mulheres da plateia vai ao delírio quando você surge logo na primeira cena. Isso o envolve?  

FBTento não me envolver muito na emoção delas para não perder o foco da cena! Mas é inevitável não participar desta energia, o que faço é transformar a euforia, os gritinhos, os comentários que algumas vezes dá pra ouvir em incentivo para fazer uma boa apresentação. Me sinto bem! (Risos gostosos.)
Fábio Bianchini. Ensaio.


IS – E quanto ao reconhecimento desse personagem pelo público? O que tem ouvido de mulheres e homens no teatro ou nas ruas?

FBAs mulheres são mais tímidas, pedem uma foto, dão os parabéns, algumas falam que tenho uma bundinha bonitinha! (Risos.) O assédio maior são das senhorinhas, elas adoram. Já o assédio masculino é mais direto, dão os parabéns, falam do corpo, chamam de gostoso e até mandam umas cantadas. Levo numa boa. Acho engraçado.
Fábio Bianchini em Sinal.


IS – Qual o momento mais emocionante do espetáculo, ao seu ver?

FBSou suspeito pra falar de um momento emocionante porque gosto muito do espetáculo no todo. Mas destaco o número musical do Jegue, Sérgio Menezes, que é muito bem executado e divertidíssimo. Também a abertura do segundo ato feito com número musical da Janette, realizado lindamente pela Sylvia Massari junto aos seis rapazes! Gosto bastante. E o número final onde executam o strip-tease que todos esperam e, realmente, é emocionante, engraçado e a plateia vai ao delírio. Olha, sinceramente, gosto de tudo.
Fábio e seu Bobby em mais um momento de sensualidade.


IS – Do teatro para a TV. Que trabalho lhe deu mais prazer na Rede Globo? Arrisco um palpite, mas não sei: o Álvaro Assunção, de Dercy de Verdade.

FBSeu palpite está Certo. Foi, sim, a série “Dercy de verdade”, com o personagem Álvaro Assunção, amigo de Dercy em vida. Foi ótimo fazer parte da equipe, trabalhar com Heloísa Périssé e Jorginho Fernando. E todo elenco, que é maravilhoso. Uma equipe que já conhecia desde a novela “Tititi”, que também foi escrita por Maria Adelaide Amaral.
Álvaro Assunção.

 

IS – Você é um homem vaidoso?

FBNão sou muito vaidoso no sentido cosméticos e produtos para beleza. Mas me cuido no sentido de manter a forma, exercícios físicos, boa alimentação. Isso já dá um trabalho danado! (Risos.) Mas gosto e faço com prazer!
Fábio Bianchini. Ensaio Fotográfico.

 

IS – A leitura atual do Fábio Bianchini é…?

FBLeio muitas coisas num mesmo período. No momento tô lendo Voltaire, "Candido"; também gosto muito de artigos sobre o cérebro, então compro revistas como a que estou lendo agora, “O mundo secreto do cérebro”, e ainda “Segredos da mente”. Este assunto me fascina.
Na Mira do Crime.


IS – O Brasil, hoje, encontra-se…? E precisaria de…?

FBDesculpe a sinceridade para a resposta, mas nosso país se encontra totalmente perdido e precisaria de grandes atitudes, atitudes nobres e de bons administradores, para se encontrar. Educação, saúde, segurança, política, economia. Assunto para se debater por horas! E estamos defasados em todos os aspectos. Precisaria de que nós tivéssemos mais atitude em cobrar nossos direitos, fazer valer nossas vontades e necessidades básicas, que não existem, mas não fomos educados para isso, fomos educados para aceitar e nós virarmos com o que temos. Precisamos reverter esta condição o mais rápido possível. Sei que uma pequena parte já faz. Temos que nos unir a esta parte e nos tornarmos grandes.
Sobre Desejos e Monstros.

 

IS – Na foto acima o vemos na adaptação para o teatro de Um Bonde Chamado Desejo, versão batizada de Sobre Desejos e Monstros. Mas agora, Fábio, qual a sua mensagem super do Bem aos admiradores do ator repleto de carisma que você é?

A Campanha Dreher.
FB – Muito obrigado pelo ator carismático! Quero desejar muitas felicidades e realizações a todos que gostam do meu trabalho. Que Deus os abençoe e que continuem mandando está energia positiva, pois só assim podemos colaborar para um mundo melhor. Fazendo o bem e desejando o bem ao próximo. Beijos, e obrigado de coração!
 

A peça está em cartaz no Theatro Net Rio às quintas e sextas às 21 horas; aos sábados, às 18 e às 21:30, e, aos domingos, às 19 horas, até 20 de dezembro.

 

O ator como o
Garoto-propaganda Manda Dreher.

 

Fotos:
Graça Paes/Divulgação
Gabriel Menezes
João Pedro Durão
Rodrigo Mesquita
ARQUIVO PESSOAL FB

 

Mais sobre os trabalhos
de Fábio Bianchini?
Encontre

AQUI.

 

Nossa 1ª. entrevista da série
Ou Tudo ou Nada,
VEJA.

 

Izan Sant

Izan Sant

Um autor super do Bem.

Expresse-se...

Entrevista

VÊ, GALERA – Clica

msg do mês

Danielle Cruz - Msg do Mês de novembro

VOCÊ AQUI

Você Aqui - novembro de 2018

presente de artista

Aniversariantes

  • Adriana Birolli (atriz)
  • Alcione (cantora e sambista)
  • Alline Sarmento (advogada – Recife/PE)
  • Ana Paula Padrão (jornalista)
  • Angélica (cantora, apresentadora e atriz)
  • Antonia Guedes (técn. em Óptica, Igarassu/PE)
  • Conceição Teles (educadora: Ens. Médio – Olinda)
  • Deborah Secco (atriz)
  • Duca Rachid (novelista e dramaturga)
  • Emília Marques (atriz – Recife/São Paulo)
  • Fátima Sequeira (psicóloga, Rio de Janeiro)
  • Felipe Lima (ator)
  • Flávio Marcone (jorn./cineg./fotógrafo – Recife)
  • Francisco Cuoco (ator)
  • Gustavo Reiz (escritor e novelista)
  • Herson Capri (ator)
  • Iralvânia Nóbrega (pedagoga – Igarassu)
  • Jack Raf (estud.: Artes Cênicas, UFPE – Recife)
  • Jesiane Rocha (jornalista – Caruaru)
  • Jessany Sany (de 2o. grau completo – Recife)
  • Juan Lima (poeta e publicitário – Recife)
  • Lázaro Ramos (ator)
  • Luciana Mariano (prop. Lu Mariano Produções Ltda)
  • Luís Távora (ator – Recife)
  • Luiz Henrique Peixôto (prof./Informática – Paulista)
  • Marcus Vinitius (divulgador de eventos – Recife)
  • Marieta Severo (atriz)
  • Mônica Moraes (jornalista)
  • Natália Marinho (INNAM – Igarassu)
  • Natt Souza (atriz – Recife)
  • Rauani Castro (atriz e produtora – Recife)
  • Reynaldo Gianecchini (ator)
  • Thaís Araújo (atriz)
  • Thiago Fragoso (ator)
  • Thiago Nolasco (drag queen – Recife)
  • Thiago Pimenta (repres. comercial)
  • Tonny Vaz (cantor – Recife)
  • Vera Fischer (atriz)
  • Victor Gondim (modelo – Brasil/Pequim)
  • Will Tom (ator e theater – Rio de Janeiro)

Eventos

  • 07. No Rio de Janeiro/RJ: estreia da peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 08. Peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea – Rio de Janeiro
  • 09. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 21h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 10. Em Recife/PE: Daniel Boaventura, dias 9 e 10 – 21h – Plateia Baixa Lateral: R$ 170 (inteira) e R$ 85 (meia), Plateia Alta: R$ 150 (inteira) e R$ 75 (meia), Balcão Nobre: R$ 130 (inteira) e R$ 65 (meia), Especial | Plateia Baixa Central: R$ 200 (preço único, com direito a CD DVD autografado e foto com o artista – Teatro RioMar / Av. República do Líbano, 251, 4º piso – RioMar Shopping
  • 14. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 15. Peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea, Rio de Janeiro
  • 16. Peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 21h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea, Rio de Janeiro
  • 21. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 22. Em Cabo de Santo Agostinho/PE: “Frenesi”, peça teatral com Priscila Cardoso, Atriz Premiada em Recife pelo EmCena PE – 19h – Auditório Luiz Lacerda (ao lado da escola-modelo Antônio Benedito da Rocha) / Rua Linha, 72-132, Garapu
  • 22. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 23. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 21h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 30. Em Olinda/PE: Simone encontra Ivan Lins – 21h30 – Plateia Especial: R$ 244 (inteira) e R$ 122 (meia), Plateia: R$ 204 (inteira) e R$ 102 (meia), Balcão: R$ 154 (inteira) e R$ 77 (meia) – Teatro Guararapes / Centro de Convenções

Recomendo

Entrar

Arquivos