Dos céus, o Recife

Por Wilton Carvalho

NA DÉCADA DE 1940
Recife: vista aérea nos idos de 1940.

É inegável que o Recife possui importantes avenidas que, atualmente, são de extrema necessidade para uma melhor fluidez do trânsito, mas não é de hoje que as discussões sobre o assunto vêm à tona. Com o aumento da população e com o aumento no número de automóveis particulares e veículos de transporte coletivo, foi necessário abrir novas vias para circulação. Os projetos já começaram a ser elaborados a partir da década de 20, mas a execução desses projetos começou com mais força a partir da década de 40, quando se construiu a ponte Duarte Coelho em 1943, fazendo uma importante ligação entre o bairro de Santo Antônio com o bairro da Boa Vista. A atualmente Avenida Conde da Boa Vista já teve o nome de “Rua Formosa” e “Caminho Novo”; a Avenida Guararapes já foi chamada de “Avenida 10 de Novembro”. Na foto, podemos ver que o PRÉDIO DOS CORREIOS e o prédio do CINEMA SÃO LUIZ ainda não haviam sido construídos(Foto: Museu da Cidade do Recife)
 

DÉCADA DE 1950
Recife: vista aérea nos idos de 1950.

Depois do Bairro do Recife, podemos considerar o bairro de Santo Antônio como um dos mais importantes bairros centrais do Recife. Já foi chamado de “Ilha dos Navios”, pois, nas suas margens, as embarcações eram reparadas. Mas foi no século XVII, com a invasão holandesa, que a localidade ganhou outro grau de importância. Foi ali que o Conde Maurício de Nassau escolheu para morar e, dali, iniciou-se a expansão territorial, que foi um fator determinante para o desenvolvimento urbano da época. (Fonte e foto: Fundação Joaquim Nabuco)
 

DÉCADA DE 1970
Recife: vista aérea nos idos de 1970 - 1.

Existem localidades que sabemos o nome, mas não sabemos o porquê daquele nome, é o caso da Ilha Joana Bezerra. Afinal, quem foi Joana Bezerra para ter um nome tão conhecido no Recife? Uma coisa eu digo, não foi ninguém tão importante que merecesse ganhar um nome em uma ilha, mas era, tão somente, casada com o dono daquelas terras. Joana Bezerra era filha de Antônio Bezerra e Isabel Lopes, de importante família colonial, e casada com Belchior Alves Camelo, português natural de Ponte do Lima, que comprou as terras de D. Luísa de Albuquerque antes mesmo da invasão Holandesa, em 1630. Luísa havia tomado posse das terras, que eram de seu pai, André de Albuquerque, filho e herdeiro de Jerônimo de Albuquerque, mas… Peraí, quem foi Joana Bezerra mesmo?… (Fonte: Fundação Joaquim Nabuco. Foto: Museu da Cidade do Recife)

 

ESTA 2a. IMAGEM DA DÉCADA DE 1970 TAMBÉM É SHOW DE BOLA, VEJA:

Recife: vista aérea nos idos de 1970 - 2.

Olhando do alto, temos uma noção de como o Recife foi aterrado. Olhando fotos antigas, percebemos ainda mais essas áreas aterradas e como havia muita água ao redor do Recife. Não é à toa que o Recife é chamado de Veneza Brasileira, com pontes e água por todos os lados. Mas podemos destacar dois aspectos sobre os aterros. Primeiro, a cidade era muito baixa, mais baixa do que é hoje. Especialmente no Bairro do Recife: houve uma elevação do solo, pois as inundações eram constantes. Segundo, que as áreas centrais recifenses eram menores do que são hoje, e os aterros serviam para ampliar essa área reduzida. Um exemplo da foto, em que podemos ver ao centro, um pouco mais para cima, o prédio da Prefeitura do Recife: essa área não é o solo original, e, sim, um aterro. A Rua da Aurora, antigamente, era um pântano, pertencente ao comerciante Casimiro Antônio Medeiros e que foi aterrado em 1806, nascendo, assim, a tão famosa rua, conhecida por receber os primeiros raios do sol. Se os aterros fazem bem ao Recife ou não, fica aí a questão para os especialistas. (Fonte: Fundação Joaquim Nabuco. Foto: Museu da Cidade do Recife)
 

(Clique nas fotos para ampliá-las)               . Wilton é administrador do Recife de Antigamente

 

E olha só o Facebook do Papo aqui, gente! Curta num CLIQUE!

Izan Sant

Izan Sant

Um autor super do Bem.

Expresse-se...

Entrevista

VÊ, GALERA – Clica

msg do mês

Danielle Cruz - Msg do Mês de novembro

VOCÊ AQUI

Você Aqui - novembro de 2018

presente de artista

Aniversariantes

  • Adriana Birolli (atriz)
  • Alcione (cantora e sambista)
  • Alline Sarmento (advogada – Recife/PE)
  • Ana Paula Padrão (jornalista)
  • Angélica (cantora, apresentadora e atriz)
  • Antonia Guedes (técn. em Óptica, Igarassu/PE)
  • Conceição Teles (educadora: Ens. Médio – Olinda)
  • Deborah Secco (atriz)
  • Duca Rachid (novelista e dramaturga)
  • Emília Marques (atriz – Recife/São Paulo)
  • Fátima Sequeira (psicóloga, Rio de Janeiro)
  • Felipe Lima (ator)
  • Flávio Marcone (jorn./cineg./fotógrafo – Recife)
  • Francisco Cuoco (ator)
  • Gustavo Reiz (escritor e novelista)
  • Herson Capri (ator)
  • Iralvânia Nóbrega (pedagoga – Igarassu)
  • Jack Raf (estud.: Artes Cênicas, UFPE – Recife)
  • Jesiane Rocha (jornalista – Caruaru)
  • Jessany Sany (de 2o. grau completo – Recife)
  • Juan Lima (poeta e publicitário – Recife)
  • Lázaro Ramos (ator)
  • Luciana Mariano (prop. Lu Mariano Produções Ltda)
  • Luís Távora (ator – Recife)
  • Luiz Henrique Peixôto (prof./Informática – Paulista)
  • Marcus Vinitius (divulgador de eventos – Recife)
  • Marieta Severo (atriz)
  • Mônica Moraes (jornalista)
  • Natália Marinho (INNAM – Igarassu)
  • Natt Souza (atriz – Recife)
  • Rauani Castro (atriz e produtora – Recife)
  • Reynaldo Gianecchini (ator)
  • Thaís Araújo (atriz)
  • Thiago Fragoso (ator)
  • Thiago Nolasco (drag queen – Recife)
  • Thiago Pimenta (repres. comercial)
  • Tonny Vaz (cantor – Recife)
  • Vera Fischer (atriz)
  • Victor Gondim (modelo – Brasil/Pequim)
  • Will Tom (ator e theater – Rio de Janeiro)

Eventos

  • 07. No Rio de Janeiro/RJ: estreia da peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 08. Peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea – Rio de Janeiro
  • 09. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 21h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 10. Em Recife/PE: Daniel Boaventura, dias 9 e 10 – 21h – Plateia Baixa Lateral: R$ 170 (inteira) e R$ 85 (meia), Plateia Alta: R$ 150 (inteira) e R$ 75 (meia), Balcão Nobre: R$ 130 (inteira) e R$ 65 (meia), Especial | Plateia Baixa Central: R$ 200 (preço único, com direito a CD DVD autografado e foto com o artista – Teatro RioMar / Av. República do Líbano, 251, 4º piso – RioMar Shopping
  • 14. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 15. Peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea, Rio de Janeiro
  • 16. Peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 21h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea, Rio de Janeiro
  • 21. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 22. Em Cabo de Santo Agostinho/PE: “Frenesi”, peça teatral com Priscila Cardoso, Atriz Premiada em Recife pelo EmCena PE – 19h – Auditório Luiz Lacerda (ao lado da escola-modelo Antônio Benedito da Rocha) / Rua Linha, 72-132, Garapu
  • 22. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 23. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 21h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 30. Em Olinda/PE: Simone encontra Ivan Lins – 21h30 – Plateia Especial: R$ 244 (inteira) e R$ 122 (meia), Plateia: R$ 204 (inteira) e R$ 102 (meia), Balcão: R$ 154 (inteira) e R$ 77 (meia) – Teatro Guararapes / Centro de Convenções

Recomendo

Entrar

Arquivos