O ser humano & o amor

De Izan Sant, exclusivo para este site,
inspirado em títulos de canções do Rei Roberto Carlos.
 

Olha, quando o amor perfeito não bate à nossa porta, resta o amor imperfeito. Ou… tanta solidão.

No estado solitário, cama e mesa tomam conta da rotina dos seres frágeis; por sua vez, a paz da espera pela felicidade, a partir desse instante, invade o coração dos fortes.

Amando, as flores do jardim da nossa casa (as emoções do peito) nos levam a aventuras tão gigantes quanto as baleias; a atitudes tomadas com muito amor e carinho; a uma alegria saudavelmente agitada como as ondas do mar.

Amando, de coração pra coração, e não da boca pra fora, é deixar de ser fera ferida para ser super-herói, ganhando, assim, qualquer jogo de damas.
Roberto Carlos. Texto com títulos de letras suas.

Amando, a lua nova da Luz Divina cai, como uma música suave, sobre a existência do homem bom, da mulher pequena, do moço velho, da atriz, do careta, da mulher de 40, do caminhoneiro, da sereia, do velho homem do mar… dos velhinhos. Porque o amor é mais, o amor é demais, o amor é a moda!

O gosto de tudo, eternamente, são as recordações de um amor sem limites. Dos instantes de ternura.

Em qualquer lugar do mundo, Rio de Janeiro, Paris, Milão, Coimbra ou outros, é preciso saber viver essa doce loucura de amar sem dar vez aos tropeços do caminho, nem às contradições que possam surgir. O cadillac da nossa vida quem conduz é cada um de nós.

Que cada ser humano saiba agradecer a Jesus Cristo pela vida, pelo amor… e viva na paz do seu sorriso
 

Saindo dos títulos poéticos de Roberto, se você ama alguém e ainda não se declarou, muna-se de coragem e diga ao seu grande love:

Eu te amo!

Continue lendo

Flash Especial: A generosidade, um bebê


Existe uma coisa que se perde — cada dia mais — no nosso cotidiano: ela, sim, a do título acima, a generosidade.

Eu sei que, pra muitos, praticá-la pode até parecer careta no mundo atual, que preza absurdamente pelo ego. Um mundo que fala de temas por demais dolorosos de forma tão Generosidade.fácil, quando deveria falar mais de amor. Mas essa é uma questão em que não vou me aprofundar.

Meu lema, hoje, é generosidade. Algo que nos faz mover pra frente e nos leva a chegar um pouco mais perto de Deus. Se as pessoas não veem, Ele vê (e recompensa!) a quem atua com tal sentimento. Não é preciso alardear pra ninguém, pois atos generosos devem ser espontâneos e nada de notícia. Não é verdade? Se vira manchete, não é o legítimo ato.

Agir com generosidade não se resume simplesmente em dar um PEDAÇO DE PÃO a quem tem fome. Não!

Significa muito mais: sorrir na hora certa para o próximo, abraçar o outro com o desejo de realmente lhe fazer bem e diminuir sua solidão, doar-se ao Bem sem limites, compartilhar o pão, levar donativos (com o coração e aqueles que pudermos) aos menos favorecidos pela sorte… Muitos o fazem se doando aos asilos, aos orfanatos, ao querido LAR DO NENÉM, que você precisa conhecer… Outros, aos seus parentes menos afortunados. O que também tem plena validade.

Todos tão carentes, tão necessitados de nós!

Ser generoso é ser bom sem ser bobo. É ficar bem depois de se doar. É ser feliz.

Doe-se um pouquinho a cada dia. Você vai se sentir muito melhor.
 

Há um divino Provérbio Chinês que diz:

Continue lendo

O Acaiaca – de Recife – e mais…

Por Wilton Carvalho

Edifício Acaiaca.

EDIFÍCIO ACAIACA, o palco de badalação e encontro da chamada "Juventude Dourada", entre os anos de 1950 e 1960.

 

Prédio do Diário de Pernambuco.

PRÉDIO DO DIARIO DE PERNAMBUCO. Imponente no passado, o prédio localizado na Praça da Independência abrigou a sede do jornal Diario de Pernambuco. Foi tão importante e marcante para o povo recifense, que a Praça ficou conhecida também como a Pracinha do Diario. Hoje, precisa de ajuda; mais um prédio sofrendo devido ao abandono e ao descaso.

 

Cartão postal - Av. Guararapes e Ponte Duarte Coelho.

PONTE DUARTE COELHO. O passeio, que antes era mais frequente na Rua Nova e na Ponte da Boa Vista, agora se volta para a Avenida Guararapes e a Ponte Duarte Coelho na década de 1950.

Continue lendo

Culinária: Danoninho


Por: Silvana Argenta

INGREDIENTES:
1 caixinha de creme de leite; 1 lata de leite condensado; 1 lata de leite (mesma medida do leite condensado); 1 envelope de suco Tang sabor morango.
Vai um danoninho caseiro? É saudável!

 

MODO DE PREPARO:

Continue lendo

Da Cidade ao Engenho e ao Jardim


Ana Carla Andrade, mais uma vez, retorna ao site nos presenteando com suas deslumbrantes fotos, desbravadoras do nosso Brasil, que, apesar dos muitos problemas existentes hoje em dia, graças aos Céus não perdeu os encantos naturais. Ao menos, ganhamos com isso; portanto, vamos à
 

Galeria CidAtrativos 3

 

Do grande Carlos Drummond de Andrade:
"Se procurar bem você acaba encontrando.
Não a explicação (duvidosa) da vida,
Mas a poesia (inexplicável) da vida".

Vicência. Mais um pouco de sua beleza.

Vicência/PE — Engenho Jundiá
 

"Recife tem encantos mil”!
(Como disse o rei Reginaldo Rossi em sua música)

Recife. Em cores mil.


Recife. Bela mesmo em preto e branco.

 

E mais Recife pra você

Continue lendo

Um cantor de garra


Tofalini. Quem tem beleza e talento deve mostrar.
Porque garra é o que não falta ao TOFALINI, apreciador dos notáveis profissionais da música Gusttavo Lima, Ivete Sangalo e Rafael Vannucci.

Este cantor, compositor e modelo é dono de criações musicais espetaculares, uma delas é Surreal – que você vai ouvir ao final desta matéria.

Fora a parte artística, Tofalini nos revela sobre sua vida pessoal: “Amo pescar, ir ao cinema e tomar tereré” (bebida típica sul-americana feita com a infusão da erva-mate em água fria; de origem guarani, pode ser consumida com limão, hortelã, entre outros).  “Frequento a igreja e prezo muito as leis de Deus e a gratidão. Nasci na cidade de Cambé, no Paraná, e aqui permaneço até hoje, aos 23 anos. Minha Cambé é superagradável, tranquila, onde tenho orgulho de estar e de levar o nome a todo o país, devido a tantas coisas boas que vivi e vivo aqui!”.

Pois é, agora vem com a gente nesta

 

ENTREVISTA EXCLUSIVA.
 

IZAN SANT – O desejo de ter se tornado cantor veio de onde? E o compositor estava no mesmo pacote ou veio depois?

TOFALINI O desejo de me tornar cantor profissional surgiu após um trabalho escolar e, através dele, veio o pacote completo, com uma composição; a primeira, chamada “Não Posso Mais". Mas, desde criança, sempre fui fascinado por música e por toda a parte artística, isso já veio comigo de berço. (Risos gostosos.)
 

IS – Você se espelhou em algum artista famoso?

T Sim, no saudoso Cristiano Araújo.
 

IS – Como classifica, mesmo, seu estilo musical?

T Sertanejo/Pop Romântico.

Tofalini. Um cantor romântico.


IS – Tem o sonho de dividir o palco com algum ídolo da nossa música? Por quê?

T Claro… Gusttavo Lima, pois, hoje em dia, é um dos maiores e melhores cantores do Brasil.

Alexandre Tofalini. Cantor, compositor e modelo.


IS – Entre suas canções, a favorita é…?

TNão tenho apenas uma, são várias. (Risos.)

Elegância máscula. Sempre.


IS – Cantar o amor representa…?

TDeus e todas as coisas boas deste mundo.

Natureza. Compondo em meio a ela.


IS – Sobre a vida de modelo, qual o sabor?

T O de prazer, com uma doçura de mel. (Risos.)

Modelo. Sensualidade totalmente na pele.


IS – Uma mensagem súper do Bem aos fãs do Tofalini, vamos lá?

T Se você tem um sonho, pode ter a certeza de que ele nunca será impossível.

(De fato. Tudo dependendo do seu Querer, friend.)
 

FIQUE, ENFIM, COM UM TRECHO DA MÚSICA "SURREAL".

 

Fotos: Arquivo Pessoal do artista

 

Conheça mais sobre o cantor clicando

Continue lendo

Mulher — em poucas rimas

Escrito por Izan Sant exclusivamente para este site.


Uma escultura produzida com fé!
Cor de canela ou não, um celeste acarajé.

Tem mãos de Deus, mãos de cafuné:
Expulsam o mal-estar como um pontapé.

Se é preciso dizer mais, e agora, José?
O “mais” é foto do seu sorriso, do Mar que é.

Felizes seus Dias!, que sejam Tudo.
Tudo de Maravilhoso, Mulher!

Mulher jovem.
 

O sexo frágil, segundo o inteligentíssimo Jô Soares:

Continue lendo

Olha ele… o Almir Rouche!


Um artista elétrico, contagiante, a transbordar carisma, que, neste exato dia 4, completou idade nova.
Almir Rouche.


Ele é o co-protagonista do paradidático O enigma Rouche — que homenageia, ainda, as apresentadoras Danielle Monteiro (foto) e Fátima Bernardes. O livro foi relançado, repaginado, dentro da comemoração do Almir30. O romance é um misto de amor, humor, suspense e mistério, com o cantor sendo apresentado como ele mesmo.
Almir Rouche no programa Interativo, com Danielle Monteiro.


A seguir, com Cinderela, fenômeno de audiência na TV Jornal/PE.
A obra conta a história de um enigma que cai nas mãos de Gigi, de 19 anos, uma superfã de Rouche. Ligado ao cantor, o enigma é um quebra-caceça que poderá tornar Gigi milionária ou levá-la à morte. Uma coisa ou outra não sem antes a garota conhecer pessoalmente esse artista dos seus sonhos.

Almir Rouche com a amada Cinderela.


Continuamos agora com uns trechos de O enigma Rouche sobre a vida de Almir, palavras ditas por ele, em entrevista, a Izan Sant.

Olha, nasci numa casa de taipa, num 4 de março, às 13 horas; morei em Santa Helena, numa fazenda de que meus avós tomavam conta; perdi meu avô aos dois anos e dez meses, mas minha avó sempre manteve a figura dele em minha memória. Antes de me colocar pra dormir, ela contava uma história; antes de ele morrer, era a história da Chapeuzinho, as histórias da Carochinha
Almir Rouche. Rede Globo com o artista.


Depois que ele morreu, eram as histórias das nossas vidas, e, assim, ela manteve a imagem dele viva na minha cabeça como minha referência de pai. E nossa vida foi sofrida: quando o IBAMA liberava — que, antigamente, era liberado —, eu pegava passarinho pra vender na feira, armava arapucas de lata pra pegar caranguejo pra vender, pesquei muito aratu na maré, siri, pesquei muito peixe com linha, com anzol, com vara, com rede.
Almir em auditório lotado. Show!


Vendi picolé, apesar de detestar vender picoléTambém vendi tapiocas, que minha avó preparava. Dava mais as tapiocas do que vendia(Risos.) De certa forma, éramos bem pobres, a vida não foi fácil, não. Mas, apesar disto, éramos muito felizes!
Almir em programa de entrevista da TV Universitária.

 

Quem é de fé e talento continuará sendo feliz!

Parabéns, Almir! (São os votos sinceros deste site.)
 

Alunos, professores, adquiram o livro O enigma Rouche com este

Continue lendo

Intenso artista das letras


Juan Lima.
Ao perguntar a ele desde quando e de onde partiu a sua paixão por escrever, o poeta e publicitário recifense JUAN LIMA me respondeu com um desejo singular: A paixão pela escrita começou cedo, aos 16 anos eu já arriscava versos nos cadernos de colégio. Desde os 14 anos de idade eu me enveredei na música, tocando bateria em bandas de rock pelos bares de Recife; pouco tempo depois, sentindo a necessidade de criar minhas músicas, passei a escrever letras para canções”.

Logo em seguida lhe vieram à mente poemas inspirados em Vinícius de Moraes, o qual o influenciou bastante.

Juan — que, além de baterista como já sabemos, ainda é compositor — escreveu o livro Rosas, Musas e Poemas. Vinte Anos de Poesias.
 

ENTREVISTA ESPECIAL.
 

IS – Como surgiu, exatamente, a ideia deste seu tão interessante livro?

JL A vida toda eu sempre criei poemas, alguns eu entregava às mulheres que pediam (vários perdidos por aí), muitos eu mostrava ao meu pai, que insistia que eu deveria juntar todos e lançar um livro. Eu relutei muito a fazer, nunca tive em mente mostrar meus anseios, paranoias e paixões secretas (ou não) às pessoas do meu círculo. Passados vinte anos de escrita, juntei todos que tinha guardado e fiz o livro.
 

IS – Tudo é, mesmo, “extremo, definitivo, terminal” dentro de sua visão de mundo?

JL Existem duas personalidades que transitam dentro de mim: uma polida e social, que é a saída encontrada para sobreviver num mundo tão distante do que eu imagino. Outra é terminal, insensata, ansiosa, extrema, até o último suspiro. Esta última, sou eu.
 

IS – É supercativante o Projeto Formas em Poesias, paralelo ao seu livro, em parceria com Josy Ventura. Por que a atriz para recitar seus intensos poemas?

JL Josy é uma querida amiga, uma jovem com a arte entranhada na alma assim como eu. Vivemos buscando um lugar ao sol no mercado, mercado este que valoriza muito mais o ter do que o ser, a gratuidade do sexo e as mensagens sem conteúdos são mais fáceis de digerir.
Josy Ventura. Pronta para recitar um dos poemas de Juan.


IS – Tem um amor especial por um dos textos de Rosas, Musas e Poemas?

JL – Sim, o poema interpretado pela atriz Josy Ventura, chamado: “Se for para morrer”.

(Você assistirá ao vídeo deste poema no final da entrevista.)
Literatura. O livro Rosas, Musas e Poemas.


IS – Eu, particularmente, acho Se for para morrer muito bem construído em sua densidade. Bom, mas segue uma saia justa: qual o maior poeta/ou poetisa brasileiro (a)?

JL Complicado apontar um como maior, o Brasil, ao longo dos tempos, conheceu diversos poetas extraordinários, poderia citar aqui, por exemplo: Carlos Drummond de Andrade e Clarice Lispector, dois gigantes. Mas, o meu preferido é Vinícius de Moraes, sua relação com a música me fez mais próximo dele.
Juan Lima. Em estúdio com a atriz Josy Ventura.


IS – Acha que o livro eletrônico ameaça o impresso?

JL Não. Quem absorve este tipo de leitura, arte, faz questão do livro em mãos. Mas, o livro eletrônico ajuda bastante a divulgação do trabalho.


IS – Bate-bola! Melhor romance que já leu?

JL “Memórias Póstumas de Brás Cubas”.
O poeta Juan Lima.


IS – Frase máxima marcante em sua vida?

JL “Não há mal pior que a descrença, mesmo o amor que não compensa, é melhor que a solidão.” – Vinícius de Moraes.
Música. Juan inspirado.


IS – Filme espetacular! Algum que recomende?

JL O voo.
 

Juan Lima. Violão, paixão.
IS – Acho que já sei, mas vou perguntar mesmo assim: melhor escritor (a) universal? 

JL Vinícius de Moraes.
 

IS – Amor, com uma palavra?

JL Insensatez.
 

IS – Família, também com uma!

JL Alicerce.
 

IS – Algum outro projeto literário futuro?

JL Já comecei a escrever um outro livro de poemas; este, pensado e com poemas com teor político e social.
 

IS – Uma mensagem súper do Bem a cada admirador seu e a cada leitor do Papo!

JL – Viva a vida como se ela amanhã não existisse, faça tudo que pode hoje, mas só faça o bem. A linha que divide a loucura e a sensatez é muito tênue, não se permita bloquear por estruturas sociais impostas por séculos em nossa sociedade. Busque sempre seus sonhos, procurando os espaços ainda não descobertos, faça de seu caminho uma história que possa ser contada num futuro próximo aos seus entes queridos, nenhuma maldade vale a pena para se alcançar seus objetivos. Obrigado pelo carinho.

 

COM VOCÊS, AGORA,
 

Josy Ventura recitando Se for para morrer

 

Visite o site de Juan Lima, conheça mais sobre
o livro e garanta o seu. Dê um clique aqui:

Continue lendo

+ Natureza: Sertões & pores do sol


Assim como embelezaram o início de fevereiro, as fotos da nossa boa aventureira, a professora de História e fotógrafa Ana Carla Andrade, abrilhantam a última postagem do mês da folia.

 

Galeria CidAtrativos 2
 

“Tenho em mim todos os sonhos do mundo.” (Fernando Pessoa)

Natureza. Sol se pondo em Cabaceiras - Paraíba.

Foto: Pôr do Sol em Cabaceiras/PB
 

Natureza. Para Nazaré da Mata.

Caminho para Nazaré da Mata/PE
 

“Sentir é criar. Sentir é pensar sem ideias, e por isso sentir é compreender, visto que o Universo não tem ideias.” (Fernando Pessoa)

Natureza. Mais um cantinho do Nordeste.

Foto: em mais um local bem do Nordeste
 

Agora, uma última fascinante imagem com o sol se pondo de novo

Continue lendo

Entrevista

VÊ, GALERA – Clica

msg do mês

Danielle Cruz - Msg do Mês de novembro

VOCÊ AQUI

Você Aqui - novembro de 2018

presente de artista

Aniversariantes

  • Adriana Birolli (atriz)
  • Alcione (cantora e sambista)
  • Alline Sarmento (advogada – Recife/PE)
  • Ana Paula Padrão (jornalista)
  • Angélica (cantora, apresentadora e atriz)
  • Antonia Guedes (técn. em Óptica, Igarassu/PE)
  • Conceição Teles (educadora: Ens. Médio – Olinda)
  • Deborah Secco (atriz)
  • Duca Rachid (novelista e dramaturga)
  • Emília Marques (atriz – Recife/São Paulo)
  • Fátima Sequeira (psicóloga, Rio de Janeiro)
  • Felipe Lima (ator)
  • Flávio Marcone (jorn./cineg./fotógrafo – Recife)
  • Francisco Cuoco (ator)
  • Gustavo Reiz (escritor e novelista)
  • Herson Capri (ator)
  • Iralvânia Nóbrega (pedagoga – Igarassu)
  • Jack Raf (estud.: Artes Cênicas, UFPE – Recife)
  • Jesiane Rocha (jornalista – Caruaru)
  • Jessany Sany (de 2o. grau completo – Recife)
  • Juan Lima (poeta e publicitário – Recife)
  • Lázaro Ramos (ator)
  • Luciana Mariano (prop. Lu Mariano Produções Ltda)
  • Luís Távora (ator – Recife)
  • Luiz Henrique Peixôto (prof./Informática – Paulista)
  • Marcus Vinitius (divulgador de eventos – Recife)
  • Marieta Severo (atriz)
  • Mônica Moraes (jornalista)
  • Natália Marinho (INNAM – Igarassu)
  • Natt Souza (atriz – Recife)
  • Rauani Castro (atriz e produtora – Recife)
  • Reynaldo Gianecchini (ator)
  • Thaís Araújo (atriz)
  • Thiago Fragoso (ator)
  • Thiago Nolasco (drag queen – Recife)
  • Thiago Pimenta (repres. comercial)
  • Tonny Vaz (cantor – Recife)
  • Vera Fischer (atriz)
  • Victor Gondim (modelo – Brasil/Pequim)
  • Will Tom (ator e theater – Rio de Janeiro)

Eventos

  • 02. Em São Paulo/SP: Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 21h – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579
  • 03. Peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, os personagens são ‘irmãos’” – 21h – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579, Santana/SP
  • 04. Peça teatral “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher, onde “mais do que amigos, 18 personagens são ‘irmãos’” – 21h – com Herson Capri e Genézio de Barros – SESC Santana / Av. Luiz Dumont Villares, 579, Santana/SP
  • 07. No Rio de Janeiro/RJ: estreia da peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 08. Peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea – Rio de Janeiro
  • 09. Em Olinda/PE: Toquinho e Demônios da Garoa apresentam De Vinicius a Adoniran – 21h30 – Plateia Especial: R$ 204 (inteira) e R$ 102 (meia), Plateia: R$ 164 (inteira) e R$ 82 (meia), Balcão: R$ 144 (inteira) e R$ 72 (meia) – Vendas: Bilheteria do teatro, lojas Ticketfolia e www.eventim.com.br. Teatro Guararapes / Centro de Convenções
  • 09. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 21h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 10. Em Recife/PE: Daniel Boaventura, dias 9 e 10 – 21h – Plateia Baixa Lateral: R$ 170 (inteira) e R$ 85 (meia), Plateia Alta: R$ 150 (inteira) e R$ 75 (meia), Balcão Nobre: R$ 130 (inteira) e R$ 65 (meia), Especial | Plateia Baixa Central: R$ 200 (preço único, com direito a CD DVD autografado e foto com o artista – Teatro RioMar / Av. República do Líbano, 251, 4º piso – RioMar Shopping
  • 14. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 15. Peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea, Rio de Janeiro
  • 16. Peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 21h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea, Rio de Janeiro
  • 22. Em Cabo de Santo Agostinho/PE: “Frenesi”, peça teatral com Priscila Cardoso, Atriz Premiada em Recife pelo EmCena PE – 19h – Auditório Luiz Lacerda (ao lado da escola-modelo Antônio Benedito da Rocha) / Rua Linha, 72-132, Garapu
  • 30. Em Olinda/PE: Simone encontra Ivan Lins – 21h30 – Plateia Especial: R$ 244 (inteira) e R$ 122 (meia), Plateia: R$ 204 (inteira) e R$ 102 (meia), Balcão: R$ 154 (inteira) e R$ 77 (meia) – Teatro Guararapes / Centro de Convenções

Recomendo

Entrar

Arquivos