aniversários

Patrícia França: Homenagem à estrela


No mês de aniversário dela, que coincide com o mês de birthday do nosso site, vamos comemorar falando sobre esta atriz que é um diamante. Antes, obrigado ao Patrícia França Fã Clube por cultivar fotos que nos ajudaram a ilustrar e, assim, embelezar ainda mais esta 

ESPECIAL MATÉRIA SURPRESA!

Teatro. Patrícia França.

Patrícia onde ama de paixão, o teatro
(Foto: Reprodução/Patrícia França Fã Clube – Facebook)

 

Descoberta pela Rede Globo no início dos anos 90 como a nova Sônia Braga, pela semelhança com a primeira Gabriela da TV, esta recifense de olhos graúdos, sorriso magnético e alma clara representa, canta e dança espetacularmente.

Linda à la Sônia Braga.

Início de carreira, à la Sônia (Braga)
(Foto: Reprodução/Divulgação Patrícia França FC)

 

Tive a sorte de vê-la por duas vezes no musical Ou Tudo Ou Nada, há dois anos; tive o prazer de conversar com ela e fiquei encantado. A atenção, a simpatia, o parecer que já conhece você há um bom tempo, isto me deixou muito à vontade. Mas, enfim, sigamos relembrando um pouquinho do que ela tem realizou nos palcos e nas telas.

Teatro. Ou Tudo Ou Nada.

Em 2016, a Vicki, do famoso musical da Broadway, baseado no filme inglês que conquistou o mundo
(Foto: Reprodução/fan page Ou Tudo Ou Nada)

 

Patrícia pôs-se a atuar na infância em sua terra natal, Recife, em peças de teatro (entre estas, A Ver Estrelas); ganhou prêmios e mostrou seu talento também nos comerciais regionais. Em 1992 protagonizou a minissérie global Tereza Batista, da obra de Jorge Amado Tereza Batista Cansada de Guerra. Viveu a personagem-título dos 13 aos 27 anos, que, órfã, é vendida ainda criança, por sua cruel tia Felipa, ao Capitão Justo, homem poderoso, violento. Ele acolhia meninas a fim de abusar sexualmente delas. Esse papel revelou França para o mundo.

Televisão. Patrícia como Tereza Batista.

Tereza Batista em suas três fases
(Foto: Reprodução/Patrícia França FC)

 

Depois da minissérie, ela deu vida a outros personagens de sucesso em novelas da Globo: à nordestina Maria Santa, de Renascer (1993); à sofredora Cláudia, de Sonho Meu (1993/1994); à aspirante à cantora Lucilene, em O Fim do Mundo (1996), mininovela em 35 capítulos; à romântica Madalena Sobral, de Salsa e Merengue (1996).

Televisão. Patrícia em Salsa e Merengue.

A doce e simples Madalena, em Salsa e Merengue, de Miguel Falabella
(Foto: Reprodução/Patrícia França FC)

 

Em 1999, interpretou a enigmática Clarisse Ribeiro, na trama das 21 horas Suave Veneno, de Aguinaldo Silva, onde contracenou com a amiga Glória Pires. Já 2001 e 2002 foram os anos de estar na pele da cigana Blanca, de A Padroeira; em 2003 foi a vez da Dra. Sofia Menezes, em Chocolate com Pimenta.

Televisão. Blanca, uma mulher ardilosa.

Blanca de Sevilla — A Padroeira, de Walcyr Carrasco
(Foto: Reprodução/Patrícia França FC)

 

Ela participou ainda da minissérie Engraçadinha: Seus Amores e Seus Pecados; esteve em episódios do Você Decide; em A Farsa da Boa Preguiça, Caso Especial da obra de Ariano Suassuna; no episódio Correndo Atrás, da série Mulher, além do programa Renato Aragão Especial, como a Nanci.

Teatro. Patrícia França e amigas.

Patrícia e amigas: Glória Pires e Sylvia Massari
(Foto: Reprodução/Patrícia França FC)

 

Após atuações em outra emissora, retornou à TV Globo em 2014 na novela teen Malhação Sonhos, onde envolveu o público com a Delma, mãe de um adolescente que sonhava ser um rockstar.

Patrícia França. Ela tem o dom.

O dom de viver diversas vidas é maravilhoso!
(Foto: Reprodução/Patrícia França FC)

 

No cinema, até aqui, foram dez filmes, dos quais destacamos Tieta do Agreste (1996), onde viveu Imaculada e Tieta jovem, e Orfeu (1999), encarnando a Eurídice. Seguindo estes, vieram mais quatro; o mais recente deles, Flordelis — Basta uma Palavra para Mudar, no qual a Mãe de Beá era a sua personagem. No teatro, Quando Eu For Mãe, Quero Amar Desse Jeito, em 2016, foi um recente trabalho onde a adorável pernambucana se superou.
 

Como descrevê-la usando os elementos certos?

Arriscando, by Izan Sant:

Patrícia França sorri como uma tarde ensolarada; atua tal e qual uma deusa em cena; canta dominando a suavidade, às vezes a força; dança como uma Mestra numa apresentação plenavive com a lindeza de um dia com garoa.


Patrícia França. Setembro, seu mês de niver.

Happy birthday, amada Patrícia! São os votos do Izan Sant e do Papo de Bem!
(Foto: Reprodução/Patrícia França FC)

 

O reencontro da atriz com Carolina Pavanelli, a
Lalesca, filha da Patrícia em Sonho Meu,
VEJA.

Reencontro com Leonardo Vieira,
o José Inocêncio jovem de Renascer,
CONFIRA.

 

Curta o Patrícia França Fã Clube.

O site da Rede Globo é ESTE.


Uma máxima demais do George Sand:

Continue lendo

Olha ele… o Almir Rouche!


Um artista elétrico, contagiante, a transbordar carisma, que, neste exato dia 4, completou idade nova.
Almir Rouche.


Ele é o co-protagonista do paradidático O enigma Rouche — que homenageia, ainda, as apresentadoras Danielle Monteiro (foto) e Fátima Bernardes. O livro foi relançado, repaginado, dentro da comemoração do Almir30. O romance é um misto de amor, humor, suspense e mistério, com o cantor sendo apresentado como ele mesmo.
Almir Rouche no programa Interativo, com Danielle Monteiro.


A seguir, com Cinderela, fenômeno de audiência na TV Jornal/PE.
A obra conta a história de um enigma que cai nas mãos de Gigi, de 19 anos, uma superfã de Rouche. Ligado ao cantor, o enigma é um quebra-caceça que poderá tornar Gigi milionária ou levá-la à morte. Uma coisa ou outra não sem antes a garota conhecer pessoalmente esse artista dos seus sonhos.

Almir Rouche com a amada Cinderela.


Continuamos agora com uns trechos de O enigma Rouche sobre a vida de Almir, palavras ditas por ele, em entrevista, a Izan Sant.

Olha, nasci numa casa de taipa, num 4 de março, às 13 horas; morei em Santa Helena, numa fazenda de que meus avós tomavam conta; perdi meu avô aos dois anos e dez meses, mas minha avó sempre manteve a figura dele em minha memória. Antes de me colocar pra dormir, ela contava uma história; antes de ele morrer, era a história da Chapeuzinho, as histórias da Carochinha
Almir Rouche. Rede Globo com o artista.


Depois que ele morreu, eram as histórias das nossas vidas, e, assim, ela manteve a imagem dele viva na minha cabeça como minha referência de pai. E nossa vida foi sofrida: quando o IBAMA liberava — que, antigamente, era liberado —, eu pegava passarinho pra vender na feira, armava arapucas de lata pra pegar caranguejo pra vender, pesquei muito aratu na maré, siri, pesquei muito peixe com linha, com anzol, com vara, com rede.
Almir em auditório lotado. Show!


Vendi picolé, apesar de detestar vender picoléTambém vendi tapiocas, que minha avó preparava. Dava mais as tapiocas do que vendia(Risos.) De certa forma, éramos bem pobres, a vida não foi fácil, não. Mas, apesar disto, éramos muito felizes!
Almir em programa de entrevista da TV Universitária.

 

Quem é de fé e talento continuará sendo feliz!

Parabéns, Almir! (São os votos sinceros deste site.)
 

Alunos, professores, adquiram o livro O enigma Rouche com este

Continue lendo

Apagando velinhas, Adriana Birolli


O niver da linda Adriana — que já entrevistamos aqui no site — aconteceu nesse dia 20 de novembro, friends. Um dia que foi, sem dúvida, estelar, por ela ser uma das mais brilhantes atrizes da nova geração.Adriana Birolli e Alexandre Contini.

Namorada de um estimado amigo meu, o igualmente brilhante ator Alexandre Contini, também diretor e produtor teatral, Birolli tem uma empatia sensacionalíssima com boa parte do público: mesmo fazendo em Império a temperamental e, às vezes, odiosa Amanda, consegue ser simpática aos olhos desses telespectadores.

Levando em consideração noveleiros com quem conversei, eles não chegam a ver a designer de sapatos como uma vilã aprendiz da Maria Marta, mas como uma jovem de fibra que, apesar de ser movida por dinheiro, tenta reconquistar o amor do passado de repente, também, por realmente amar. Aquele amor inconsciente. Será isso?

Na minha primeira entrevista pra outro veículo com essa curitibana, fiquei sabendo dela o gosto de ter sido Atriz Revelação pela interpretação de Isabel, em Viver a vida: “Bom demais. Eu costumo dizer uma coisa assim, que é um prêmio único, porque é uma vez só, não é? Você pode ser Melhor Atriz, ou Melhor Coadjuvante, ou outros prêmios pela vida inteira, mas o de Atriz Revelação é uma vez só. Tenho muito orgulho desses prêmios que eu ganhei; o de Atriz Revelação pela novela, já ganhei outros dois de Melhor Atriz com essa peça (‘Manual Pratico da Mulher Desesperada’) e com ‘Fina estampa’, mas, realmente, o prêmio de Revelação tem esse gostinho diferenciado de ser único.”

É, galera. O Papo de Bem deseja a essa fã do irmão, o cantor Carlito Birolli, e profissional apaixonada pelos fãs, muita paz, amor, saúde, sucesso e — como diria Contini — muita energia positiva em toda a carreira! Parabéns, Adriana!

SAIDEIRA! Ainda naquela entrevista, quando lhe perguntei qual a sua celebridade, ela respondeu:

Continue lendo

Feliz aniversário, Almir Rouche!


E a gente comemora o aniversário de Almir, neste dia 4, Almir Rouche. 
com um capítulo do romance O enigma Rouche, sobre o cantor!
 

“APÓS 'ALMIR',
A DETERMINAÇÃO!

 

Caiu a noite.

A ansiedade devorava Gigi por dentro: como ia demorar a noite seguinte! Como parecia longínquo o retorno de Leone!

— Vinte horas — constatou pelo relógio da parede.

Jantou, leu um capítulo do romance Clarissa, de Érico Veríssimo, depois atacou a geladeira: comeu dois potes de mousse de cajá. Mas isso não lhe diminuiu a ansiedade. Assistiu à metade de um filme de ação com uma inquietude voraz. Consultou novamente o relógio: vinte e três horas. Com calor, tomou uma ducha, secou os cabelos, vestiu uma roupa clara, visitou suas páginas virtuais, nenhuma novidade. No e-mail, também não. Como fazia toda semana, navegou pelo site de Almir Rouche, contemplou fotos, viu sua agenda e releu a biografia. Passou, a seguir, à introdução de uma matéria que trazia um pouco da intensa história do cantor:

Almir Rouche nasceu em uma casa pobre da Vila Rubina, Igarassu (PE), teve o avô como referência de pai, morou parte da infância em São Paulo, onde ganhou, por duas vezes, o 1º. lugar em festivais de música, e, após, regressou às terras igarassuenses em seguida. Cantou em bares, na banda Cantor Almir Rouche.Status, em outra banda, a Diplomata, apresentando-se, com esta, nos bailes, sua grande escola. Só mais adiante, dedicou-se à técnica vocal, à leitura de notas musicais, o que lhe valeu a atribuição da carteira da Ordem dos Músicos.

Sintetizando, a vida deste cantor tão querido pelo país foi um filme em preto e branco que ganhou cores de vitória.

Gigi foi à entrevista, direto à pergunta da qual mais gostava:

Você pode nos contar um fato curioso de sua vida, Almir?

Continue lendo

Igarassuar


Natureza e talento unidos: uma Mulher-Artista e a 
Igarassu histórica das marés e coqueirais. 
Ver esse município (marco do Brasil) aniversariar, ah… 
Está além de todo o prazer, é sabor e vida espirituais. 
Raiou na Arte, então, o sinônimo do verbo amar: igarassuar

Igarassu - PE - 478 anosEm sua confortável residência, GENECI MARTELLI e sua tela Globo-Sabor.

O quadro, concebido por mim e desenvolvido pela premiada artista de Tapurah – MT, apresenta a Igreja Matriz dos Santos Cosme e Damião, no município aniversariante deste 27 de setembro: IgarassuPE.

O trabalho foi feito especialmente para o romance paradidático O enigma Rouche, que exibe a imagem de Geneci na contracapa — além de ser uma homenagem à terra do cantor ALMIR ROUCHE e a este próprio artista pop.

Parabéns por mais um ano, Igarassu, muitos coqueirais de existência pra você!
 

Aos 478 anos de Igarassu.
 

Curiosidade: Igarassu foi cenário para as produções Lisbela e o prisioneiro (2003, filme de Guel Arraes) e Duas caras (2007/2008, do autor pernambucano Aguinaldo Silva); novela esta que contou com a extraordinária interpretação do ator GABRIEL SEQUEIRA, filho de minha amiga FÁTIMA SEQUEIRA, como um dos protagonistas, o personagem Renato.

Continue lendo

Entrevista

VÊ, GALERA – Clica

msg do mês

Danielle Cruz - Msg do Mês de novembro

VOCÊ AQUI

Você Aqui - novembro de 2018

presente de artista

Aniversariantes

  • Adriana Birolli (atriz)
  • Alcione (cantora e sambista)
  • Alline Sarmento (advogada – Recife/PE)
  • Ana Paula Padrão (jornalista)
  • Angélica (cantora, apresentadora e atriz)
  • Antonia Guedes (técn. em Óptica, Igarassu/PE)
  • Conceição Teles (educadora: Ens. Médio – Olinda)
  • Deborah Secco (atriz)
  • Duca Rachid (novelista e dramaturga)
  • Emília Marques (atriz – Recife/São Paulo)
  • Fátima Sequeira (psicóloga, Rio de Janeiro)
  • Felipe Lima (ator)
  • Flávio Marcone (jorn./cineg./fotógrafo – Recife)
  • Francisco Cuoco (ator)
  • Gustavo Reiz (escritor e novelista)
  • Herson Capri (ator)
  • Iralvânia Nóbrega (pedagoga – Igarassu)
  • Jack Raf (estud.: Artes Cênicas, UFPE – Recife)
  • Jesiane Rocha (jornalista – Caruaru)
  • Jessany Sany (de 2o. grau completo – Recife)
  • Juan Lima (poeta e publicitário – Recife)
  • Lázaro Ramos (ator)
  • Luciana Mariano (prop. Lu Mariano Produções Ltda)
  • Luís Távora (ator – Recife)
  • Luiz Henrique Peixôto (prof./Informática – Paulista)
  • Marcus Vinitius (divulgador de eventos – Recife)
  • Marieta Severo (atriz)
  • Mônica Moraes (jornalista)
  • Natália Marinho (INNAM – Igarassu)
  • Natt Souza (atriz – Recife)
  • Rauani Castro (atriz e produtora – Recife)
  • Reynaldo Gianecchini (ator)
  • Thaís Araújo (atriz)
  • Thiago Fragoso (ator)
  • Thiago Nolasco (drag queen – Recife)
  • Thiago Pimenta (repres. comercial)
  • Tonny Vaz (cantor – Recife)
  • Vera Fischer (atriz)
  • Victor Gondim (modelo – Brasil/Pequim)
  • Will Tom (ator e theater – Rio de Janeiro)

Eventos

  • 07. No Rio de Janeiro/RJ: estreia da peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 08. Peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea – Rio de Janeiro
  • 09. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 21h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 10. Em Recife/PE: Daniel Boaventura, dias 9 e 10 – 21h – Plateia Baixa Lateral: R$ 170 (inteira) e R$ 85 (meia), Plateia Alta: R$ 150 (inteira) e R$ 75 (meia), Balcão Nobre: R$ 130 (inteira) e R$ 65 (meia), Especial | Plateia Baixa Central: R$ 200 (preço único, com direito a CD DVD autografado e foto com o artista – Teatro RioMar / Av. República do Líbano, 251, 4º piso – RioMar Shopping
  • 14. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 15. Peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea, Rio de Janeiro
  • 16. Peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 21h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea, Rio de Janeiro
  • 21. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 22. Em Cabo de Santo Agostinho/PE: “Frenesi”, peça teatral com Priscila Cardoso, Atriz Premiada em Recife pelo EmCena PE – 19h – Auditório Luiz Lacerda (ao lado da escola-modelo Antônio Benedito da Rocha) / Rua Linha, 72-132, Garapu
  • 22. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 20h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 23. No Rio de Janeiro/RJ: peça “As Brasas”, adaptação de Duca Rachid e Julio Fisher – 21h – de 07/11 a 30/11 – com Herson Capri e Genézio de Barros – Shopping da Gávea, Loja 264, 2º Piso / Rua Marquês de São Vicente , 52 – Gávea
  • 30. Em Olinda/PE: Simone encontra Ivan Lins – 21h30 – Plateia Especial: R$ 244 (inteira) e R$ 122 (meia), Plateia: R$ 204 (inteira) e R$ 102 (meia), Balcão: R$ 154 (inteira) e R$ 77 (meia) – Teatro Guararapes / Centro de Convenções

Recomendo

Entrar

Arquivos