Artes plásticas

Banff – Turismo no Canadá


Um texto do meu livro que fala sobre essa cidade-paraíso, ótima investida para quem gosta de passar o inverno,
que está se aproximando, fora do Brasil. Fica a dica. (Izan Sant)

 
  Éden canadense

 

No Canadá, país dos idiomas inglês e francês, um dos melhores lugares para se viver do mundo, você encontra a cidade mais turística das Montanhas Rochosas. Fica na província de Alberta, dentro do cênico Parque Nacional de Banff, área de preservação ambiental onde a civilização se desenvolveu em harmonia com a natureza.

Extremamente receptiva aos seus visitantes, Banff é rústica e requintada, um típico cartão-postal de sonho. Oferece boa quantidade de hotéis, sua beleza pitoresca estende-se às largas ruas, ao centro comercial bem organizado, às casas em estilo alpino, à floresta de coníferas… Suas gigantescas montanhas podem ser admiradas da rua principal.

Devido à perfeita integração entre a cidade e suas áreas verdes, facilmente é possível vermos alces, veados e caribus pastando nos jardins das residências e nos canteiros das ruas.
Canadá. Arte. Uma tela de Dini (ou Geneci) Martelli.

Bares, lojas, restaurantes, passeios de charrete, dentre outras atrações, completam o glamour desse oásis cortado por um rio esplendíssimo, o qual nos lembra logo de um dos cenários do longa-metragem Pocahontas.

Localizam-se no Parque Nacional de Banff as mais bem frequentadas estações de esqui do país: Lake Louise, Mount Norquay e Sunshine Village, todas de fácil acesso.

Banff, indiscutivelmente, é um município visitado por turistas de todo o planeta. No verão, pelas paisagens, a vida selvagem e os esportes de aventura; no inverno, pelos esportes de neve e as águas termais.

Continue lendo

Especial: sua casa & Arte


Especial mesmo, pois este look fica um arraso em um jardim residencial.

Que tal uma obra de arte dessas no seu?

Artes Plásticas: A Camponesa - Durante o dia.

Trata-se de A Camponesa, de Geneci Martelli.

Feita em cimento e mármore, ela possui uma luminária com uma queda d'água.

Artes Plásticas: A Camponesa - À tardinha.

Com dois metros de altura, esta obra não embeleza apenas jardins; pode, também, dar aquele toque carismático às vias públicas, segundo sua criadora.

Continue lendo

Mamãe costura… Você presenteia!


Relembrando o que é bom, gente! Só coisas boas!

Seguem umas dicas de com o que você pode presentear, num momento especial, alguém que você ame. Sugiro um livro bacana ou uma obra de arte de bom-gosto. Um desses presentes, o Mamãe costura e esta noite vou te ver.
Sylvia Bandeira. Mamãe costura e esta noite vou te ver.

Um livro com as incríveis memórias da atriz Sylvia Bandeira. Ilustrado, tocante, que nos remete à vida de amor, das viagens, dos filhos, dos holofotes do teatro e muito mais.

Conheça mais detalhes dele e compre AQUI. Você também encontrará o livro no EDITORAS.COM.

 

Outra dica de livro já recomendada é a do Toda mulher tem 7 homens.

Será que tem mesmo?

… a Branca de Neve já tinha" — me disse a bem-humorada autora deste romance, Vera Lucas.
Vera Lucas. Toda mulher tem 7 homens.

A personagem, cômica de viver, é a jovem Patrícia; os 7 homens… Quais serão?

Adquira o livro impresso pra poder identificar cada um num simples CLIQUE. Em formato e-book, nesta PÁGINA.
 

 

Uma obra de arte Geneci Martelli.
Se você prefere uma peça como esta, é só contactar aquela que produz as melhores. Geneci Martelli (ou Dini) é o nome, artista plástica premiada, viu? De quem já mostrei outros trabalhos aqui.

Você a encontra clicando nesta sua FANPAGE.
 

Presenteie, cuide com esse carinho o alguém tudo-de-bom pra você!

Hum, e a respeito do ato de presentear, Jader Amadi poetizou singularmente:

Continue lendo

Decoração: by Geneci – Flash Especial

Por Geneci Martelli

Gente, estes quatro trabalhos são apenas objetos de decoração.
Escultura - Trabalho bidimensional.


São esculturas de parede, ou trabalhos bidimensionais, com colagem de materiais variados…
Escultura de parede.


…e que você pode colocar em qualquer ambiente.

Continue lendo

Aconchegue-se…


Com o aconchego desta Escultura de parede para ambientes mais íntimos ou, até mesmo, para clínicas de estética”, como nos explica a sua criadora, Geneci Martelli… aí vai a nossa Mensagem da Semana. Em acróstico, logo abaixo da obra de arte

Escultura: ambientes íntimos e clínicas de estética.


Aquele sorriso festivo ao te ver. 
Criança, feliz, abraçando a gente. 
Oração quente, que dá alívio a você. 
Navio trazendo um amável ente. 
Coisas do coração que te fazem levitar. 
Homem e mulher em perfeita harmonia. 
Espera por um Bem que vai chegar. 
Garotinhos de rua em plena alegria. 
Ombros sempre dispostos a te ajudar.
 

(De Izan Sant exclusivamente para o “Papo de Bem”)
 

Agora, veja que coisa mais terna um autor desconhecido falou sobre aconchego:

Continue lendo

Conto: Garota ferida!

Obras de arte e fotos: by Geneci (Dini) Martelli – Tapurah/MT
Artes Plásticas.

Era uma sexta-feira nublada em São Paulo, às 21 horas, quando a artista plástica Ísis Valeska, de dezenove anos, entrou no seu apartamento — ao lado do Parque do Ibirapuera — louca, sofrendo os horrores de um massacre. Um riacho incontrolável no rosto atraente, doída por dentro como se tivesse sido varada no peito por um punhal! Inclinada, a mão no ventre, seus gritos enchiam os interiores do apê:

— Ai, que dor, que dor!… Me acuda, meu Pai!…

Foi atirando objetos decorativos contra a parede, o soalho, os espelhos, como num desabafo. Rob, o irmão três anos mais jovem, veio do quarto, assustado e largando o tablet, na agonia da interrogação:

— Que é que você tem, Ísis?! — Tentava segurá-la. — Me diz, o que tá pegando, minha irmã?!

Transtornada, o tom de voz da garota se amplificou mais ainda:

— É uma dor, uma dor, Rob!… Dói muito, dói!… É uma dor maior que a vida, maior que o mundo, é uma dor!… — Gesticulava como uma doida precisando de camisa-de-força.

Rob tentava acalmá-la, sentá-la no sofá, mas ela guerreava indomavelmente contra ele. Jogou o teen sobre o tapete, rasgou-lhe a manga da camisa e lhe arranhou o rosto.

— Dói muito, dói!…

— Que dor, por que isso, fera?! — perguntou, com a mão no arranhão e já revoltado. Tentou novamente segurar os braços dela, abraçá-la.

— Me larga, garoto!!!

Quis arranhar o rosto dele outra vez, no entanto Rob se desvencilhou e lhe deu um tapa, fazendo-a cair aos pés de uma meia mesa onde ficava a escultura Deusa da Justiça – Thêmis, produzida por sua mestra em Artes Plásticas, Geneci Martelli (uma aquisição da aluna).

— Chega, Ísis!!!

Silêncio geral após o bramido e a “bolacha” de Rob, suado, a face riscada de vermelho, a camisa rasgada, o coração compadecido pelo sangue do seu sangue. Ísis abafou o choro. Rob ficou de joelhos junto a ela, que desabou no ombro dele. A sala, um Iraque!

— Desculpa, mana… Não curto violência, você sabe, pô… Só não vi outro jeito de te frear.

— Perdão, Robinho… Eu é que te peço, eu não queria te agredir…

Artes Plásticas.— Beleza, tá legal? — falou, repousando a mão nos cabelos corredios da Thêmis. — Tudo na paz agora. Mas me diz, tô boladão… Que rolo aconteceu?

— Ah, meu brother!… — desabafo dramático! — tudo seria tão melhor na vida se não existisse mais homem na face da Terra!…

— Não… — ficou bobo com o motivo. — Você tá assim… por causa de homem?!

— Ele… ele acabou comigo, Rob. O carinha me matou, sabe?… Aquele monstro, ele…

— Ele…? — disse Rob, querendo que ela continuasse, acalorando a desesperada com um aperto nas mãos.

— Ele não vale nada! Agora, é um inimigo pra mim, eu odeio aquele mané, quero ver ele comendo capim pela raiz! — Ergueu-se. Caminhou lentamente pela sala, depois virou-se para o irmão. — Ele me feriu, feriu minha alma. Acabou comigo. Tô me sentido a última das pessoas, um farrapo…

Impaciente, Rob se levantou querendo assassinar a dúvida:

— Dá um tempo nas metáforas! O que foi que o Léo te fez, ele te botou uma peruca de touro? — A impaciência deu lugar à angústia.

Ela estranhou:

— Quem tá falando do Léo aqui, maninho? Pirou total você?

— Opa, espera aí… — ele se surpreendeu. — Não é do Léo, seu namorado, que você tá se queixando?…

Continue lendo

Uma Artista portuguesa com certeza


Arte. A profissional com uma de suas telas.
O site apresenta a vocês agora mais uma Artista plástica de dar orgulho a qualquer um.

Ela é a premiada

MARIA TEREZA BRAZ,

nascida em Sobral de Monte Agraço, Portugal, mas que, atualmente, mora em Carnaxide, cidade do mesmo país.

A seguir, uma revelação da Tereza que consta em seu Currículo: 

“Depois de 13 anos de trabalho na Comunicação Social como documentalista, surge algo que altera totalmente minha vida. A pintura sempre foi uma arte que me apaixonou e, em 1999, no meio de uma desistência, descobri essa mesma arte. No meio da catástrofe resolvi fazer experiência… Surge o primeiro quadro e depois foi… 

Despertar! 
Descobrir! 
Tentar!”

… sem qualquer apoio técnico. Tenho feito inúmeros quadros, pintura acrílica com pauzinhos e fundos espatulados — uma técnica particular.

E eis uma Autodidata!”.

A sua pintura é Naif (ingênua, em francês) ou primitiva, como é mais conhecida no Brasil.

É a pintura produzida por artistas não-eruditos, que têm como inspiração retratar temas populares tanto do campo quanto da cidade.


PortuGaleria
(Onde ela mesma nos apresenta as obras)
 

Nota de música-tela, dedicada a meu filho.”
Arte. Nota de Música-Tela.


"Atracção — Adoro passeio na praia, seja verão ou inverno.”
Arte. Tela Atracção.


Frida, por gostar de histórias de vida.”
Arte. Frida.


Guitar — sempre pensando em meu filho.”

Continue lendo

A Dama do Tudo


Chegando com papo novo, queridos leitores. Ou melhor, nova

ENTREVISTA ESPECIAL.

Conversei deliciosamente com SYLVIA MASSARI, uma artista que dispensa apresentações por ser uma superatriz, seja no cinema, no teatro ou na televisão.
Sylvia Massari. Uma artista completa.

Atualmente ela doa todo o seu brilho à pianista Janette, do musical Ou Tudo ou NadaNo dia 11 de março, Massari impressionou a plateia paulista com o poder de sua personagem. Ela e grande elenco estrearam em descomunal estilo no Theatro NET São Paulo, temporada que segue até 1º. de maio; portanto, você, que ainda não viu, não deixe de comparecer! É ação, drama, humor, emoção
Sylvia na pele de sua personagem Janette.

Mas, por falar em drama ele ou a comédia, o que a Sylvia prefere mais?

(Durante o bate-papo, uma galeria de trabalhos de Massari, com um pouco da sua vida pessoal.)      

 

IZAN SANT – Qual desses gêneros você se sente mais atraída a fazer? Embora faça os dois providencialmente.

SYLVIA MASSARI - Comédia, sem dúvida! É onde encontro minhas verdades.
Sylvia, Raul e Os Trapalhões.


IS – A Janette é séria demais, no entanto, ao mesmo tempo, amiga, ótima ouvinte e conselheira. Houve que tipo de laboratório para ela?

SM – Fui chamada muito perto da estreia, para substituir uma outra atriz. Não houve tempo para laboratório…  Ela veio surgindo aos poucos…
No teatro, só curtição.


IS – Um instante genial da personagem! Qual?

SM – Gosto do meu solo com os rapazes.
Um sorriso de Estrela.

 

IS – Uma cena mais feliz do musical, segundo você.

SM – A última, quando os rapazes finalmente tiram a roupa, para delírio da plateia. A mais engraçada, eu considero a do apartamento, quando recebem os Kits que irão usar no show.
Dama, principalmente, do teatro.

 

IS – Quanto tempo de dedicação teve para deixar pronta a Janette?

Janette convidando você. Vem!
SM – Foram somente 15 dias, mas continuei me dedicando a encontrá-la, depois da estreia.  
 

IS – Sua definição sobre o texto?

SM – Inteligente e engraçado. 
 

IS – Como curte a convivência nos bastidores?

SM – Literalmente, uma farra! Nós nos divertimos muito e trocamos experiências. É um camarim maravilhoso!
 

IS – Você desenvolveu diversos trabalhos na televisão, mas um dos que mais gostei foi na novela A Lua Me Disse, do Miguel. A sua cantora, a Morcega! Boas lembranças deste tempo? 

SM – Com certeza! Eu nunca vou me esquecer da Morcega. Ela era divertida e engraçada. Foi um prazer muito grande fazer o texto do Miguel. 
 

IS – Seu trabalho inesquecível! Ou trabalhos?

SM – “A Estrela Dalva”, A Amnésia de “Noviças Rebeldes”, a “Maria Santa”, minha boneca da Praça. Posso acrescentar a Luísa de Os “Fantastikos” (com K).
 

IS – Cor predileta?

SM – Azul.
 

IS – Perfume?

SM – Narciso Rodriguez.
 

IS – Autor(a)? ou mais de um(a)!

SM – Eu estudei muito Kafka e ele ficou pra sempre.
Com Diogo Vilela.

 

IS – Livro de cabeceira?

SM – O que estiver lendo no momento.

(Logo abaixo, a inesquecível personagem Maria Santa.)
A boneca Maria Santa, um mito do humor.


IS – Telenovela antológica?

SM – “Gabriela”.
A atriz com Roberto Carlos.


IS – A palavra mais apaixonante do mundo é…?

SM – Amor.
Uma freira adorável.


IS – Um gostoso passatempo?

SM – Cinema, à tarde, e um lanchinho no final.
Música. Uma atriz que canta superbem!


IS – O que não come, de forma alguma?

SM – Carne.
Sylvia em Paris e com o amigo Maurício.


IS – Como você se autodefine?

SM – Teimosa, Hiperativa e Batalhadora.
Sylvia e Max Wilson.


IS – Família representa…?

SM – Tudo!!!
Sylvia com Glória Perez.


IS – Entre muitos fãs, você tem, além deste colunista que lhe fala, um superfã em Triunfo, no Rio Grande do Sul: o jovem ator Léo Borba. Agora, então, que mensagem híper do Bem você direciona aos seus outros fãs, que, tanto quanto eu e o Léo, a endeusam pela atriz espetacular que você é?

Continue lendo

Eu cheguei em frente ao portão…


e cheguei, virtualmente, à procura de mais looks pra sua casa, my friend. Senti o charme ao extremo deste portão personalizado, na residência de Geneci Martelli.
Portão personalizado - casa de Geneci Martelli. 
No passeio virtual, me deparei com esta tela escultura em 3D
Tela escultura em 3D. 
E com este quadro inovador, que poderia estar na sua sala, gente do Bem

Quadro inovador pra embelezar seu ambiente. 
Encontrei a criadora destas maravilhas

Geneci Martelli. 
Ela estampa a contracapa de
O enigma Rouche, e você vê aqui

Continue lendo

Um papo com Arilena Soares

Artista. Arilena Soares.
Na verdade, Maria Arilena Borba Soares Coutinho, valorosa artista plástica e escritora pernambucana.

Nascida na cidade de Catende, aos 19 de novembro, ARILENA SOARES já veio com a arte nas veias: é filha do dramaturgo Aristóteles Soares e de Joaquina Helena Borba Soares. Sobrinha do contista e acadêmico da APL, Pelópidas Soares. Prima da poeta, contista e acadêmica da APL, Bartyra Soares e mãe do professor, gestor público estadual e músico, Fernando Augusto Soares Coutinho.

Como vemos, ela pertence a uma família de escritores destacados em Pernambuco. No dizer do grande escritor/acadêmico da APL, Mauro Mota, quando o mesmo afirmou: “A DINASTIA DOS SOARES!”.

Uma feliz Dinastia, por sinal! Por isso, a atual Matriarca dos Soares vai nos doar um pouco de sua sabedoria, pois sou muito curioso

 

ENTREVISTA
ESPECIAL

 

IZAN SANT – Vamos iniciar por suas diversas modalidades de arte. Primeiro, a Pintura!

ARILENA SOARESBom, sou pintora por intuição nata. Desenvolvi o dom de pintar, aprimorando as técnicas pictóricas aos vintes anos de idade, com formação na Escola de Artes do Recife, sob orientação da professora e artista plástica Elba Siqueira Campos e supervisão do artista Gil Vicente. Seguindo o Academicismo, método de ensino artístico iniciado na Europa e estendido pelas civilizações ocidentais, pode-se observar em minha pintura um cunho ortodoxo que identifica o meu estilo de pintar. São telas que retratam naturezas-mortas, florais, paisagens, nus artísticos, casarios, igrejas, marinhas… sempre com gamas de cores fortes e mescladas. Com mais de quatrocentos trabalhos, vários vendidos, já apresentei uma vernissage na FACOTUR-Olinda, na turma de Turismo de 2009.
Pintura. Telas de Arilena.


IS – Como ilustradora, quais os trabalhos desenvolvidos por você?

AS – Primeiramente, como ilustradora de livros, tive a honra de ilustrar a capa e o miolo do livro-romance “Outro Sol se Levanta”, última obra do imortal acadêmico da APL, a Academia Pernambucana de Letras, Cadeira 27, escritor, poeta e contista consagrado, Pelópidas Soares. Igualmente, tive o imenso contentamento de ilustrar a capa do livro de poesias “Ciclo das Oferendas”, da consagrada poeta, contista e acadêmica da APL, recentemente eleita para assumir a cadeira de número 37, pertencente à escritora Deborah Brennand, falecida. Também, no livro “O Teatro de Aristóteles Soares”, consta uma ilustração de minha autoria, uma retratação do famoso dramaturgo Aristóteles Soares.
Arilena Soares - Ilustrações de capas de livros.


IS – Chegamos a uma área que eu gosto demais, a literatura. Sobre sua contribuição nesse campo riquíssimo, o que pode nos contar?

ASNa Literatura, participei de depoimentos no livro “O Teatro de Aristóteles Soares”, de autoria da escritora, atriz, produtora cultural, diretora teatral Lúcia Machado e do ator de teatro e cinema nacional, Jones Melo, já falecido. Livro de grande valia pelo conteúdo cultural, por se tratar de um extraordinário resgate das obras do dramaturgo Aristóteles Soares, lançado durante as festividades do XIII Festival Recife do Teatro Nacional, em novembro de 2010, quando o renomado teatrólogo foi um dos homenageados pela Secretaria de Cultura da Cidade do Recife, onde participei da Noite de Autógrafos, junto à Secretária de Cultura Leda Alves, do ator Jones Melo, da atriz Xuruca Paxeco, da escritora Leda Rivas e da escritora Lúcia Machado. Uma noite inesquecível! Outrossim, como escritora, participei da antologia “Lendas do Nordeste”, de organização das escritoras Bartyra Soares, Lourdes Nicácio Silva e Raphaela Nicácio, onde consta a lenda de minha autoria: “O Fogo Azul ou o Fogo que Corre”, junto a quarenta e cinco escritores de todo o Nordeste. Participei do colendo grupo de contistas, poetas, escritores na 13ª edição da Revista de Literatura Novo Horizonte, da editora e escritora Lourdes Nicácio e Silva, com o depoimento “O Dramaturgo de Catende”, em homenagem aos 105 Anos de Nascimento do renomado dramaturgo pernambucano, Aristóteles Soares.
Arilena. O amor pelos livros e os filhos.A convite do SESC-Santa Rita, fui palestrante no evento Roda de Conversa — A Barca dos Encantados, junto à escritora Lúcia Machado e ao poeta e mediador Raimundo de Moraes, no CAC da UFPE, dia 8 de abril do corrente ano, onde discorremos sobre a vida e a obra do dramaturgo Aristóteles Soares, quando o mesmo foi homenageado. Na rede social Facebook, no perfil Laboratório Ascenso Ferreira, pode-se apreciar a leitura da revista virtual Ascenso, Minha Língua, páginas 40 à 53, onde consta um texto de minha autoria, intitulado: A Convivência com Aristóteles Soares, mais vídeo com imagens onde aparece minha palestra sobre o referido autor.
Conto. Arilena tambem é contista.

 

IS – Você foi agraciada com dedicatórias de autores em seus livros, não foi mesmo? Cite alguns pra gente.

AS – Como é exemplo, o livro de contos “A Outra e Outros”, com o conto "A Menina e a Boneca", do contista Pelópidas Soares. O livro de contos “Caminhadas”, com o conto “O Dramaturgo”, do poeta e contista Josinaldo Maria da Costa. O livro de contos “Inexatidão do Tempo”, com o conto “Trovoada”, da poeta e contista Bartyra Soares.
Arilena Soares em evento.Todos a mim dedicados, que me enchem de orgulho, pela posição que seus referidos escritores ocupam na Literatura de Pernambuco, contribuindo para a historiografia da cultura nordestina.
Dedicatória. A Arilena Soares.


IS – Depois deste papo gostoso e inteligente, um mérito seu, conceitue, por favor, Educação, com uma palavra, ou uma frase.

ASO bem maior da sociedade.
A Barca dos Encantados.


IS – E arte?

ASA Arte é a manifestação das emoções e ideias.
Arte. A dos anjos.


IS – Se não fosse a escritora, ilustradora e artista plástica que é, o que poderia ter sido? Faz ideia?

ASPedagoga. Já o sou por formação. Amo fazer cidadãos de bem para o mundo e para Deus!
Olinda. Bailarina. Artes de Arilena.


IS – Qual a sua mensagem super do Bem para os leitores brasileiros — principalmente os pernambucanos, como nós?

Continue lendo

Entrar

presente de artista

Bem-kete

O que gostaria de ganhar como presente de Natal? (Pode votar em até 2 alternativas)

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

msg do mês

Jebson Moraes - MSG DO MÊS

Aniversariantes

  • Adri Caetano (consultora/secretária – Igarassu/PE)
  • Adriana Esteves (atriz)
  • Adriane Pessoa (educadora – Igarassu)
  • Alinne Moraes (atriz)
  • Ana Alice Cabral (concl. Ens. Médio, Paulista/PE)
  • Brad Pitt (ator)
  • Carla Faour (atriz e roteirista)
  • Carlos Pedrosa (empresário – Itamaracá/PE)
  • Claudemir Gomes (prof. de Matemática – Igarassu)
  • Cláudia Raia (atriz)
  • Cynthia Peixoto (profa. de Português – Paulista)
  • Daniel Ávila (ator e professor de teatro)
  • Daniel Menezes (DKM Informática – Itamaracá)
  • Daniella Verolli (produtora de Eventos – Recife)
  • Danielle Winits (atriz)
  • Dionne Warwick (cantora)
  • Fábio Batista dos Santos (editor: vídeo e som – SP)
  • Fábio Bianchini (ator)
  • Fernanda Ribeiro (secretária – Igarassu)
  • Geneci Martelli (artista plástica – Tapurah/MT)
  • Gilson De Paula (ator – Recife/PE)
  • Giulia Gam (atriz)
  • Janaína Ana (aluna/Enfermagem – Itapissuma/PE)
  • Josenita Pereira (educadora – Olinda/PE)
  • Juliana Marcolina (intérp./Libras, Abreu e Lima/PE)
  • Kátia D’Angelo (atriz)
  • Leandro D’Melo (ator)
  • Leonardo Borba (ator – Triunfo/RS)
  • Lytah Cabral (recifense – residente em São Paulo)
  • Marcio Jorge Correa (Dj – Entre Rios do Oeste/AM)
  • Márcio Rosário (ator)
  • Marcondes Oliveira (biólogo – Recife)
  • Mariá Coutinho (turismóloga – Recife)
  • Marly Cabral (profa. de História – Recife)
  • Pedro Antônio (prof. de Inglês – Paulista)
  • Ricky Martin (cantor e ex-Menudo)
  • Rita Lee (cantora e compositora)
  • Rodrigo Andrade (ator, cantor e compositor)
  • Rodrigo Geraldini (biólogo – Conchal/SP)
  • Samuel Santos (ator, diretor, dramaturgo – Recife)
  • Selton Mello (ator e diretor)
  • Sílvio Santos (apresentador de TV)
  • Talita Monteiro (agente de saúde – Itapissuma)
  • Victoria Diniz (atriz)
  • Walcyr Carrasco (escritor, novelista e dramaturgo)
  • Wottson Carlos (func. da Unilife Saúde – Paulista)

Eventos

  • 04. Almir Rouche – especialmente na Festa de Nossa Senhora da Conceição – Santuário de Nossa Senhora da Conceição – Recife
  • 07. Cantata de Natal Nordestina: Corais e pastoril e lançamento do CD Quinteto Violado 46 anos, com Ed Carlos, Nádia Maia, Sanfoneiro Genaro e Sumara Ramos – às 17h – Gratuito – Fundaj / Avenida Dezessete de Agosto, 2187, Casa Forte
  • 13. Festival Rumor, com Lílian Campesato -às 20h – Gratuito – Teatro Hermilo Borba Filho / Rua do Apolo, 121, Recife Antigo
  • 19. Especial Roberto Carlos – às 19h30 – R$ 7,50 – Galeria Joana D’Arc / Avenida Herculano Bandeira, 513, Pina – Telefone: 99751-3503
  • 28. Peça “CIÚMES DE UM MISÓGINO” – com a bela atriz PRISCILA CARDOSO, nos dias 14, 15, 21, 22 e 28 (último) – às 19h – Antigo Café / Av. Marquês de Olinda, 274 – Recife

FOTO DE BEM

Foto de Bem - Maria Clara Nóbrega

Facebook

Entrevista

Arquivos

VÊ, GALERA – Clica